3 jul 2005 - 20h55

Castigo no final

Apenas 72 horas depois de obter sua classificação para a final da Copa Libertadores da América 2005 de forma épica, o Clube Atlético Paranaense voltou a entrar em campo. Desta vez, a apresentação foi em Brasília, no Estádio Boca do Jacaré, e não em Guadalajara, no histórico Jalisco. Do outro lado, uma equipe novata, o Brasiliense. Tão novata a ponto de este ter sido o primeiro confronto entre as duas equipes. Atuando novamente pelo Campeonato Brasileiro, o Atlético voltou a jogar mal e perdeu por 2 a 1. Desta vez, o time segurou o empate até os 45 do segundo tempo, mesmo jogando 35 minutos com um jogador a mais. Com o pensamento totalmente voltado para a decisão da Libertadores, o técnico Antonio Lopes escalou um time reserva, que acabou penando pela falta de entrosamento e ausência de ritmo de jogo. Dos 14 jogadores que participaram do jogo deste domingo, apenas 6 estão inscritos na Libertadores e viajaram para o México (Tiago Cardoso, Ticão, Rodrigo, Jorge Henrique, Cléo e Tiago Vieira). Destes, apenas Ticão e Tiago Vieira participaram do jogo contra o Chivas.

O primeiro tempo foi amplamente dominado pelo Brasiliense. O time abriu o placar logo aos 14 minutos. Marcelinho Carioca cobrou falta, a zaga bateu cabeça, e o volante Pituca mandou para o fundo da rede. A única chance atleticana aconteceu aos 45 minutos. Rodrigo cobrou falta na trave e Cléo desperdiçou o rebote, chutando para fora.

Na etapa final, o Atlético voltou muito melhor. Com Anderson Aquino no lugar de Jorge Henrique, a equipe acertou mais passes e dominou os primeiros minutos. O gol não tardou a sair. Logo aos 6 minutos, o estreante colombiano David Ferreira acionou Rodrigo, que bateu com categoria no canto do goleiro Eduardo, empatando o jogo. Depois do gol, o Atlético se animou para virar o jogo, mas sofreu um forte revés aos 10 minutos. Ticão foi expulso depois de receber o segundo amarelo e deixou o time com um a menos. Lopes recuou o time para garantir o empate.

O Atlético suportou a pressão até o finalzinho do jogo. O goleiro Tiago Cardoso teve papel importante e praticou boas defesas. O Brasiliense ameaçou especialmente em chutes de fora da área dos reservas Tiano e Igor. Mas aos 46 do segundo tempo, Marcelinho Carioca aproveitou um cochilo da marcação e marcou o gol da vitória.

%ficha=433%

Melhores momentos da partida

Primeiro tempo
14 min – Gol do Brasiliense. Marcelinho Carioca bate falta na área, a bola bate no zagueiro Adriano e, na confusão, sobra para Pituca marcar.
17 min – Oséas cabeceia livre na área, mas Etto tira.
19 min – Vampeta chuta de fora da área a bola passa perto do gol.
32 min – Rodrigo cobra falta, mas chuta mal.
35 min – Brasiliense ameaça a meta de Tiago Cardoso.
42 min – Cléo bate de fora da área, mas Eduardo defende.
45 min – Rodrigo cobra falta e acerta a trave direita de Eduardo. No rebote, Cléo manda para fora.
47 min – Fim do primeiro tempo.

Segundo tempo
6 min – Gol do Atlético. Time faz boa jogada pela direita. Dentro da área, Ferreira toca para Rodrigo, que bate bem no canto direito de Eduardo e empata o jogo.
17 min – Tiano chuta de fora da área e acerta a trave.
20 min – Pituca dribla Tiago Vieira e manda uma bomba raspando a trave.
29 min – Tiano bate de longe, mas Tiago Cardoso espalma.
30 min – Jairo cabeceia e Tiago Cardoso faz sua principal defesa no jogo.
43 min – Tiano chuta de longe e Tiago Cardoso rebate.
44 min – Igor chuta forte e bola passa raspando a trave.
46 min – Gol do Brasiliense. Depois de jogada pela direita, Oséas toca para Marcelinho Carioca no centro da área. Ele não tem dificuldades para marcar o segundo gol.
50 min – Fim do jogo.



Últimas Notícias

Opinião

Passo a passo

O mundo anda acelerado demais. Era um processo que já vínhamos passando mas parece que se acelerou no período pós pandemia, pois todo mundo parece…