5 ago 2005 - 2h13

Presidente da OAB também é atleticano

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Roberto Antonio Busato, é torcedor do Clube Atlético Paranaense. Busato foi entrevistado pelo apresentador Jô Soares no Programa do Jô desta quinta-feira. Falou sobre sua trajetória profissional, sua atuação à frente da Ordem dos Advogados e comentou episódios recentes do cenário público brasileiro. Dentre outras coisas, revelou que antes de se formar em Direito atuou como radialista e narrador esportivo. Roberto Antonio Busato nasceu em Caçador, mas se mudou para Ponta Grossa com 8 anos de idade. Por isso, considera-se paranaense. Como radialista, era conhecido pelo apelido de Busatinho e atuou como repórter de campo e locutor. Narrava partidas de futebol e de basquete em Ponta Grossa.

Depois de se formar Bacharel em Direito, tornou-se advogado e passou a se dedicar integralmente à profissão. Em janeiro de 2004, ele foi eleito por unanimidade presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil para o triênio 2004/2007. Aos 49 anos, foi o mais jovem advogado a chegar à presidência da OAB em 72 anos de história. A Ordem dos Advogados do Brasil é a entidade que representa nacionalmente a classe dos advogados – cerca de 450 mil em todo o país.

Durante sua entrevista no Programa do Jô, Busato comentou o período em que foi narrador esportivo e comentou um episódio de um jogo do Operário, no Estádio Germano Krüger. Perguntado sobre seu time de coração, não titubeou: "Eu sou Atlético Paranaense. Eu torço pelo Atlético".

Além de Roberto Busato, outra importante figura do cenário jurídico brasileiro também é atleticano fanático: o Procurador-geral da República Antonio Fernando Barros e Silva de Souza. Clique aqui para conferir uma galeria de atleticanos ilustres (se souber de algum não listado, por favor entre em contato conosco).



Últimas Notícias

Notícia

Deu tela azul, no Azuriz

Pela sexta rodada do Campeonato Paranaense o Athletico recebeu o Azuriz. E desde o início demonstrou que está em franca evolução. Já aos 4 minutos,…