9 ago 2005 - 10h03

Manchetes atleticanas desta terça-feira

E não é que o “pangaré” vai mostrando que é matador mesmo? Preterido pelo presidente do Coritiba, Giovani Gionédis, Alexandre Finazzi começa a mostrar no Atlético que tem sangue de artilheiro mesmo. Os três gols contra o Cruzeiro já justificaram a busca do Rubro-Negro na sua contratação desde o início do ano. Nas cinco partidas em que atuou (três como titular) ele marcou quatro vezes e exibe uma excelente média (0,8 gol por jogo) para quem precisa substituir o titular Aloísio nas próximas partidas.

 

Atualmente, a chance de o Atlético cair para a Segundona é de 18%. O velado sonho de retornar à Libertadores também se mantém aceso, mas só com 1% de probabilidade de ser realizado – para isso a equipe teria de manter o aproveitamento recente até o fim do Brasileiro.

 

Depois da vitória de 5 a 4 sobre o Cruzeiro, o técnico Antônio Lopes já começa a pensar no jogo contra o São Caetano, quarta-feira, no estádio Anacleto Campanella. Para este confronto o Lopes não poderá contar com o volante Alan Bahia e o meia Evandro.

 

Lima, Aloísio, Finazzi, Caetano e Schumacher. Os atacantes do Atlético voltaram a brilhar, exatamente quando o clube mais precisou deles. Depois de 11 rodadas na lanterna do Campeonato Brasileiro, o time reagiu e, além das vitórias, trouxe uma enxurrada de gols — foram 20 marcados em sete jogos (média de 2,86 por partida). Os principais responsáveis pela melhora do desempenho ofensivo, segundo as estatísticas, foram os atacantes do Furacão e o técnico Antonio Lopes.

 

O atacante Dagoberto está se recuperando bem da ruptura que sofreu no músculo da coxa direita. O jogador está realizando treinamentos físicos progressivos e acredita que poderá voltar a atuar na última partida do primeiro turno do Brasileiro, contra o São Paulo, dia 20, na Arena da Baixada. "Estou voltando com a parte física. Espero voltar bem e confiante para a próxima semana ", afirmou Dagoberto.

 

A missão de vencer o Goiás e o Cruzeiro, em casa, foi mais do que cumprida. Foram jogos complicados, mas o importante é que os seis pontos foram conquistados e esses times já fazem parte do passado. Agora, a meta é não deixar a peteca cair e manter o alto astral longe da torcida. Depois de conquistar duas vitórias com o apoio do torcedor, o Atlético-PR jogará duas partidas longe da Baixada. Primeiro, a equipe rubro-negra vai a São Paulo, enfrentar o São Caetano, amanhã, e depois viaja para o norte do país onde joga com o Paysandu em Belém, no sábado.

 


Últimas Notícias

Brasileiro

Saudades do ex? Por aqui, não.

Pela terceira rodada do Brasileirão, o Athletico foi até Porto Alegre para enfrentar o Grêmio de Tiago Nunes. Surpreendente na escalação, António Oliveira iniciou o…