11 set 2005 - 19h27

Análise de Corinthians 2 x 0 Atlético, por Fábio Kaiut

Análise de Corinthians 2 x 0 Atlético
por Fabio Kaiut

Um resultado horrível decorrente de uma partida tecnicamente sofrível pelo lado atleticano: eis o resumo de Corinthians 2 x 0 Atlético, que tornou ainda mais difíceis as pretensões de o rubro-negro conseguir uma boa posição ao final do Brasileirão 2005.

O Atlético ressentiu-se e muito da ausência de seus laterais: Ticão, pela direita, não apoiava como Jancarlos – suspenso pelo terceiro amarelo – e mesmo assim deixava um buraco às suas costas, devidamente aproveitado pelo time mosqueteiro; Marcão, por sua vez, esteve bisonho, parecia que não tinha entrado em campo. Além, é claro, dos inúmeros passes errados de ambos, tônica de todo o time, aliás.

Se Douglas e Marcus Winicius cumpriam razoavelmente bem – pelo menos no primeiro tempo – a tarefa de segurar o ataque corintiano, a força ofensiva do Atlético mostrava-se pífia. E diminuiu ainda mais após a equivocada (para ser elegante) substituição de Evandro por Thiago Almeida. Este nada produziu e Antonio Lopes perdeu a única peça que, ainda que se mostrasse sem ritmo de jogo – Evandro vinha de dois jogos de suspensão, com a intertemporada no meio –, poderia dar algum sopro de criatividade ao rubro-negro paranaense. O mais acertado, naquele momento, seria manter Evandro e tirar Lima, deixando o Atlético com um 4-5-1 tendo a referência ofensiva em Schumacher.

A posterior substituição de Lima por Anderson Aquino nada acrescentou e tornou ainda pior o pesadelo atleticano, que não deu nenhum chute a gol a partir de então. O que só comprova a “Evandrodependência” já noticiada por este site: o Atlético não consegue ganhar sem Evandro em campo.

Os gols alvinegros saíram, o primeiro, de uma jogada “estatística” – um cruzamento que espirrou na área e sobrou nos pés de Marcelo Mattos – e o segundo de um erro de passe atleticano (mais um, aliás) que montou o contra-ataque do Corinthians, até a finalização de Carlos Alberto.

O Atlético quebra mais um tabu, neste Brasileirão 2005 que se apresenta como o “campeonato dos recordes” rubro-negro: desde 1998 não perdia em São Paulo para o Corinthians em Campeonatos Brasileiros.

Assim fica difícil conseguir alguma coisa até dezembro. Como também fica difícil fugir do pensamento recorrente, quanto a uma eventual má intenção do Delegado, que torna a cometer erros infantis em partidas perfeitamente “ganháveis”. Deus livre-nos.

Fabio Kaiut é advogado e colaborador da Furacao.com

O texto acima não representa necessariamente a opinião dos integrantes da Furacao.com e seu autor se responsabiliza integralmente pelo conteúdo. Entre em contato com o autor pelo e-mail fabiokaiut@yahoo.com.br.



Últimas Notícias