30 set 2005 - 16h39

Pulseira da solidariedade preta será lançada domingo

A partir deste domingo, os torcedores do Atlético poderão completar sua coleção das Pulseiras da Solidariedade e ainda ajudar outra instituição de apoio à sociedade carente: a Associação Paranaense de Reabilitação. A nova pulseira na cor preta segue os mesmos moldes do exemplar vermelho e será lançada na partida deste domingo, contra o Flamengo, na Kyocera Arena.

Inicialmente, serão apenas 500 unidades na cor preta, mas a gerente de Marketing do Atlético, Tatiana Girardi, garante que esta quantidade será aumentada em breve. “Estamos apenas aguardando a chegada de um novo lote para colocar a disposição dos torcedores. Mesmo assim, a edição é limitada e acredito que procura será grande”, avaliou.

Produzidas em silicone, as novas Pulseiras da Solidariedade custam R$7,00 e parte da renda será revertida para a construção de uma fábrica de cadeira de rodas na APR (Associação Paranaense de Reabilitação).

Corrente da Solidariedade

Lançada no fim de agosto, a campanha Pulseiras da Solidariedade tem o objetivo de formar uma verdadeira corrente Rubro-negra de ajuda ao próximo. Na primeira etapa da campanha, os torcedores do Furacão puderam comprar as pulseiras na cor vermelha, com a inscrição Clube Atlético Paranaense. Agora, para completar a corrente, está sendo lançada a pulseirinha na cor preta.

Parte da renda conseguida com a venda das pulseiras atleticanas é destinada a entidades assistenciais de Curitiba. Na primeira etapa, parte do dinheiro conseguido com a venda das pulseiras vermelhas foi destinado à Sociedade de Socorro aos Necessitados. Nesta segunda etapa, a entidade beneficiada será a Associação Paranaense de Reabilitação.

Associação Paranaense de Reabilitação

Fundada em 1º de maio de 1958 pelo Lions Club, a Associação Paranaense de Reabilitação – APR, tem por objetivo habilitar e reabilitar pessoas portadoras de deficiência física-motora, visando sua integração á sociedade como cidadãos ativos e produtivos. Sua missão é: “Contribuir de forma permanente e responsável na inclusão de portadores de necessidades especiais na sociedade e no mercado de trabalho, ofertando atendimento educacional, produtos e serviços especializados, contribuindo na sua Reabilitação e qualidade de vida”.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Jogo da vida

Por curiosidade, fui verificar qual a possibilidade da queda do CAP para a segunda divisão, e apresentou 16.4%, preocupante em vista que estamos num bolo…

Fala, Atleticano

Flertando com a ZR

Como já disse, estou feliz por ser Bicampeão Sulamericano e estar na final do Copa do Brasil, mas, deste jeito não dá. Ontem mais uma…