7 out 2005 - 8h55

Manchetes atleticanas desta sexta-feira

Atlético negocia mais cotas de patrocínio
Enquanto o time mostra sinais de recuperação no Campeonato Brasileiro, a diretoria do Atlético corre atrás da consolidação do projeto Arena. Nada a ver com a conclusão do estádio e sim em usar o marketing para capitalizar o clube em cima de seu principal patrimônio. Após “vender” o nome do estádio para a multinacional Kyocera, o Rubro-Negro negocia o restante das cotas de patrocínio com mais três ou quatro grandes empresas, que deverão ser anunciadas até o final do ano.

 

Tiago ameaça reinado de Diego
Aos 29 minutos do segundo tempo da partida contra o Fortaleza, um pesadelo já bastante repetido neste Brasileiro passou como um flash pela cabeça do torcedor atleticano: ver uma vitória praticamente certa escapar por entre os dedos. O Furacão vencia por 3 a 1, havia tomado o primeiro gol há um minuto e via o time da casa com um pênalti a seu favor. Foi aí que brilhou a estrela do jovem Tiago Cardoso, 21 anos.

 

Marcão elogia atuação do Atlético-PR
O lateral-esquerdo Marcão, do Atlético-PR, elogiou o desempenho da equipe rubro-negra depois da partida contra o Fortaleza, em que o Furacão venceu por 4 a 1.

 

Atlético calcula atraso causado pelo mau início no Brasileirão
O Atlético estaria na zona de classificação para a Copa Libertadores se não fosse o seu péssimo início no Campeonato Brasileiro. É o que mostram os números. Enquanto disputou e priorizou a competição continental, de abril a junho, somou apenas seis pontos em 11 rodadas — o que equivale a aproveitamento de 18,1% — e ficou isolado na lanterna.

 


Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…