16 out 2005 - 11h42

Manchetes atleticanas deste domingo

Falou mais alto a categoria. O Atlético contou com as boas atuações de Dagoberto e dos defensores para conseguir a vitória por 2×1 sobre o Coritiba no clássico de ontem, no Couto Pereira. Os donos da casa lutaram muito, mas não conseguiram suplantar o Furacão, que chega a 45 pontos e se aproxima mais das primeiras posições. O Coxa, em contrapartida, permanece estacionado e fica em má situação no campeonato brasileiro.

Mais coeso em campo, explorando principalmente os contra-ataques, o Atlético venceu ontem o Coritiba por 2 a 1. Assim como foi mais competente à frente, o Furacão também teve melhor atuação na defesa do que o Coxa. Enquanto os defensores alviverdes se desencontravam, os atleticanos não tinham maiores problemas, já que o ataque rival também levava pouco risco.

Com o resultado, o Atlético-PR chegou a 45 pontos ganhos e se manteve em oitavo lugar, já o Coxa, na estréia do técnico Antônio Lopes Júnior, sofreu a sua quarta derrota seguida na competição e continuou em 14º lugar, com 38 pontos. O Furacão ainda manteve a escrita de não perder para o rival em Brasileiros há dois anos (são cinco jogos, com quatro vitórias e um empate).

Mesmo jogando no Couto Pereira, o Atlético-PR confirmou a boa fase no Campeonato Brasileiro e derrotou o Coritiba por 2 a 1 ontem à noite, conquistando sua quarta vitória consecutiva no certame. Já o rival amarga o mesmo número de derrotas em seqüência.

Aos 22 minutos, num lance de bola parada, o Furacão foi lá e decidiu o destino da partida. Jancarlos fez a cobrança da falta na medida e o zagueiro Paulo André foi lá para cumprimentar de cabeça e calar o Couto Pereira: 2 x 1.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…