17 out 2005 - 9h48

Arena é considerada único estádio seguro para imprensa

A Kyocera Arena é considerado o único estádio absolutamente seguro para o exercício profissional de jornalistas e profissionais da imprensa. A conclusão foi do site Comunique-se, maior portal brasileiro voltado para profissionais de comunicação. O tema segurança nos estádios foi posto em evidência em função dos recentes acontecimentos registrados na partida entre Santos e Corinthians, no Estádio da Vila Belmiro, na quinta-feira passada (13 de outubro).

Na ocasião, a cabine de transmissão da SportTV foi invadida por torcedores do Santos, que danificaram equipamentos e destruíram microfones. O narrador Milton Leite, o comentarista Maurício Noriega e a equipe técnica tiveram de se proteger do ataque da torcida. Dentro de campo, os repórteres da emissora foram ameaçados por torcedores e funcionários do Santos.

O episódio chamou a atenção de um problema relativamente comum nos estádios brasileiros: a falta de segurança para os profissionais da imprensa. Os repórteres Cassio Politi e Raquel Menicucci ouviram diversos cronistas esportivos e coletaram informações suficientes para concluir que a ampla maioria dos estádios não oferece as condições adequadas. Já houve casos parecidos com o da Vila Belmiro em estádios como o Mineirão, Couto Pereira, Pacaembu e Morumbi, apenas para citar alguns palcos de jogos da primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

Segurança e conforto

De acordo com o Comunique-se, a Kyocera Arena é o melhor estádio para os jornalistas. Confira o trecho da reportagem: "O problema que aconteceu em Santos não é isolado. Outros estádios têm o mesmo nível rasteiro de segurança. A Arena da Baixada, em Curitiba, é considerada o único estádio seguro para os jornalistas. Foi construído há menos de dez anos, com um conceito moderno. O repórter tem acesso direto do estacionamento de imprensa para a cabine ou para o campo."

Profissionais de rádio, televisão e imprensa escrita dispõem de cabines localizadas no quarto andar da Arena, acima do setor Getúlio Vargas. Cada cabine é equipada com um banheiro, acesso à Internet por cabo e Wi-Fi e acesso a link da Embratel. Além disso, durante os jogos o clube oferece água mineral aos jornalistas e há uma lanchonete que os atende. O acesso às cabines é isolado das demais partes do estádio, o que diminui os riscos de confronto com a torcida.

Matéria relacionada
Trabalho em estádio vira profissão-perigo (Comunique-se – acesso restrito)



Últimas Notícias

Notícias

Já faz um ano….

Neste dia 04 de março faz exatamente um ano que o torcedor atleticano viu o Furacão de perto, ao vivo e em cores dentro da…