8 nov 2005 - 23h15

Evaristo: "Enquanto eu puder, vou continuar"

O técnico Evaristo de Macedo participou nesta terça-feira à noite do Lance! no Ar, programa apresentado por Nelson Aires e transmitido pela Internet através da Rádio Lance! O treinador rubro-negro foi entrevistado pelos apresentadores nos últimos dez minutos da atração – durante os primeiros 50 minutos houve boletins sobre futebol brasileiro e outros esportes. Evaristo falou sobre a alegria de estar trabalhando no Atlético e garantiu que está motivado para a temporada de 2006.

"Futebol foi o que eu sempre fiz a minha vida toda. Enquanto eu puder continuar, para mim será muito bom", afirmou, fazendo questão de destacar que o Atlético oferece todas as condições para um técnico exercer sua função de modo tranqüilo. Em conversa com o jornalista Paulo Vinícius Coelho, colunista do Lance! e comentarista da ESPN Brasil, Evaristo também deixou clara sua admiração pelo craque Dagoberto e prometeu voltar a escalar o atacante daqui a três rodadas.

Confira todas as declarações de Evaristo de Macedo no programa Lance! no Ar desta terça-feira:

OBJETIVO: SUL-AMERICANA
"O que nós pretendemos é nos mantermos numa posição que nos permita chegar numa Sul-Americana. A Libertadores está muito longe. Não começamos bem o Campeonato Brasileiro e a recuperação começou apenas agora na fase final, então não há como alcançar os outros. De qualquer maneira, chegar à Sul-Americana é uma coisa que está na cabeça de todos nós. É essa a nossa motivação."

ALEGRIA DE TRABALHAR NO ATLÉTICO
"Eu tive uma passagem muito rápida no Bahia e no Vitória. Não tínhamos elencos bons e havia muitas dificuldades, até de ordem financeira. Isso dificultava muito o ambiente de trabalho. Depois, eu fiquei em casa porque as propostas que eu recebi não fizeram a minha cabeça. Eu preferi aguardar e daí surgiu o Atlético. O Atlético é hoje uma das grandes equipes e o clube tem uma estrutura extraordinária. Você trabalha tranqüilo, você tem respaldo. Isso é muito importante no nosso trabalho."

FUTURO COMO TÉCNICO
"No futebol, a gente nunca sabe quando vai parar. Você não pára por si próprio. Alguém vai te parar. Em algum momento você não vai ter mais propostas, aí chegou a hora de parar. Eu me sinto saudável e eu gosto do futebol, mas não gosto do futebol fora das quatro linhas. Já tive convite para assumir outras posições, mas não me interessa. Quando eu não puder ser treinador, tudo bem, vou para casa satisfeito, pois fui muito feliz. Mas enquanto eu puder ser técnico, vou continuar. É o que eu gosto, o que eu sei fazer. Não sei fazer outra coisa. Futebol foi o que eu sempre fiz a minha vida toda. Enquanto eu puder continuar, para mim será muito bom".

CRAQUE DAGOBERTO
"Dagoberto é um jogador extraordinário. Nesses últimos anos é o jogador de ataque eu vi com mais talento para jogar. Ele tem todas as qualidades: chuta bem, é veloz, tem arte, é muito habilidoso, enfim, é um grande jogador. Só que ele veio de uma lesão muito séria da qual está totalmente recuperado, mas ainda não adquiriu o condicionamento físico ideal, pois isso não acontece do dia para a noite. No jogo do Palmeiras ele vinha cumprindo uma atuação belíssima, mas aí sentiu dores musculares e teve de sair. Acho que isso é normal quando o atleta fica muito tempo parado."

COM UM INÍCIO MELHOR, O ATLÉTICO PODERIA DISPUTAR O TÍTULO DO BRASILEIRO?
"Tranqüilamente. Na minha ótica, o Atlético cometeu um erro que foi abandonar o Campeonato Brasileiro no seu início, e eu inclusive falei isso para o pessoal aqui. Ele se dedicou única e exclusivamente à Libertadores. Se o Atlético tivesse conseguido três ou quatro vitórias no início seriam 9 ou 12 pontos a mais, então o Atlético estaria hoje brigando pela Libertadores."

DESEMPENHO DO ATLÉTICO NA RETA FINAL
"Eu acho que a equipe cresceu muito ultimamente e ainda vamos recuperar o Dagoberto para os jogos finais. Esses dois próximos jogos ele ainda vai ficar de fora. Mas voltando, ele dá uma outra feição à equipe. É um jogador extraordinário."

QUEM É MELHOR: DAGOBERTO, ROBINHO OU RONALDINHO GAÚCHO?
"São características diferentes. O Robinho vem um pouco mais atrás, buscar a bola. O Ronaldinho Gaúcho é hoje um meia avançado, não é um jogador exclusivamente de frente. O Dagoberto é um jogador de frente. Ele está junto do zagueiro e num movimento rápido, sai para receber a bola na proximidade da área. Esse atacante é muito difícil de encontrar hoje em dia. Essa facilidade de fugir da marcação, ele tem. Isso aí é uma caracterísitca que não é todo o jogador que tem. Agora, eu acho que no futebol as comparações não levam a nada. De um lado, há uma vantagem aqui, de outro há uma desvantagem ali. Todos eles têm espaço, mas com características diferentes."

Clique aqui para ouvir o programa Lance! no Ar com Evaristo de Macedo



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…