27 nov 2005 - 20h24

Atlético e Paraná lutam para ser o melhor do estado

Rebaixamento, última vaga para a Libertadores e título do Campeonato Brasileiro. Não são apenas estas as decisões que ficaram para a última rodada da 35ª edição do torneio. A disputa entre Atlético e Paraná Clube pelo posto de melhor equipe paranaense na classificação do campeonato continua acirrada.

Neste domingo, o Atlético venceu o Paysandu por 3 a 2 na Kyocera Arena e chegou a 61 pontos e 18 vitórias. Já o Paraná Clube ganhou do Cruzeiro por 2 a 0 no Pinheirão e também alcançou os 61 pontos. Porém, a equipe possui uma vitória a menos, o que a deixa na 7ª colocação. As duas equipes passaram a Raposa na tarde deste domingo e representarão o estado na Copa Sul-Americana 2006.

Na última rodada, no próximo domingo, o Atlético enfrenta o São Paulo no Morumbi e o Paraná Clube joga com o Vasco da Gama, no Rio de Janeiro. Vencendo por qualquer resultado, o Furacão assegurará a sexta posição, independente do resultado do Paraná. Se empatar, o time dependerá de um tropeço paranista (empate ou derrota) diante do Vasco.

Obrigações

Na opinião do paranista Beto, seu time não cumprirá tabela. "Queremos terminar a última rodada na frente do Atlético e do Coritiba. Não tem essa história de só cumprir tabela, queremos ficar acima deles", afirmou o jogador em entrevista veiculada pela Agência Placar.

Já para o técnico Evaristo de Macedo, a equipe atleticana irá com força máxima para cima do São Paulo. "Vamos colocar a força máxima. Eu acho que o Atlético, em qualquer circunstância, deve ser o melhor representante do Estado. Vamos jogar como se fosse uma final de campeonato. Essa é a minha idéia e a que irei passar aos jogadores durante a semana", finalizou o comandante atleticano.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…