27 nov 2005 - 10h57

Manchetes atleticanas deste domingo

Já classificado para a Copa Sul-Americana, o Atlético entra em campo hoje para se despedir da torcida na temporada 2005 e defender a invencibilidade em casa. Se não perder para o Paysandu, o rubro-negro irá somar 18 jogos e seis meses sem derrotas na Kyocera Arena. Nada mal para quem perdeu os seis primeiros jogos e permaneceu dez rodadas na lanterna do campeonato brasileiro. O confronto contra os desesperados paraenses está programado para as 16 horas.

 

Atlético e Paraná criaram uma alternativa para amenizar o inevitável marasmo de quem já está classificado para a Copa Sul-Americana e, a duas rodadas do fim, não tem mais ambições no Brasileiro: despedir-se da torcida com vitória. Além disso, brigam pelo “título” de melhor time paranaense no campeonato.

 

O Atlético-PR entrará em campo, neste domingo, às 16h, para enfrentar o Paysandu, pelo Brasileirão, e também para se despedir da Kyocera Arena em 2005. O time só voltará ao estádio em janeiro, na terceira rodada do Paranaense 2006. Além de ser o último jogo do clube em sua casa, o gramado do estádio será trocado.

 

O Atlético se despede hoje da torcida na temporada 2005. Contra o Paysandu, às 16 horas, o Furacão faz a última partida do Brasileirão na Kyocera Arena. E a meta, no retorno do goleiro Diego, é ganhar mais três pontos para terminar como o melhor dos paranaenses na competição.

 

O Atlético Paranaense é mais um que não tem muito o que fazer na rodada de hoje, a não ser afundar o adversário e mandá-lo pro inferno de uma vez por todas. Já garantido na Copa Sul-Americana, o Rubro-Negro (7º lugar) vai tentar manter a invencibilidade de 17 partidas na Arena da Baixada, neste domingo, às 16 horas, contra o Paysandu.

 


Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…