O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
13 dez 2005 - 15h42

O que vem por aí

O Campeonato Paranaense vem aí de novo. Assistindo as duas partidas finais do Campeonato Paranaense de Juniores, dá para ter uma boa idéia do que nos espera.

No primeiro jogo no CT do Caju, o árbitro era um tal de Renato. Conseguiu a proeza de não marcar um pênalti escandaloso no Anderson Aquino e ainda o premiou com um cartão amarelo por “simulação”, já que se marca a penalidade teria de expulsar o jogador do Paraná que já tinha amarelo. O bandeira do lado da antiga arquibancada marcava tudo que era determinado pelo Sr. Ari Marques, posicionado atrás dele, local que era proibido a qualquer outro torcedor ou dirigente do Atlético. Orientado, marcou um impedimento do mesmo Anderson Aquino, que vinha de trás e faria o gol, pois estava dentro da área pequena.

No segundo jogo então, o tal do Carlão logo após não marcar uma penalidade clara no perseguido Anderson Aquino, inventou uma para o Paraná na maior cara dura. O bandeira paranista ao lado da arquibancada(?) conseguiu marcar um impedimento do Schumacher em que ele escorregou no seu campo, levantou e arrancava sozinho para o gol. Tudo bem que o perseguido Anderson Aquino fez um gol impedido, mas o juiz permitiu que atirassem até copo de vidro em nossos jogadores e nocauteassem o bandeira.

Aí, mais uma invenção do futebol paranaense. Trocaram os bandeiras de lugar. Aquele que não sabe regra de impedimento começou a marcar tudo para o Paraná, inclusive fazendo sinal de positivo para a torcida das cadeiras(?), como se quisesse sinalizar – “fiquem tranqüilos que eu resolvo.”

Se no campeonato de juniores já acontece tudo isso, imagine o que vem no profissional. É só lembrar do Heber Roberto Lopes apitando o primeiro Atletiba da final no Pinheirão e não marcando um pênalti em que o jogador Miranda do verde faz uma defesa fantástica com a mão, impedindo o gol certo do Aloísio e depois não marca outro pênalti escandaloso sobre o Fernandinho. Será que é coincidência que o Atlético não ganha do time da segunda divisão sempre que o Heber apita?

Tudo bem que o Paraná é o primo pobre que necessita de esmola. Que o verde é pior ainda porque nem na primeira divisão consegue se manter. Mas assistir a outro campeonato paranaense sabendo que tudo isso vai se repetir é dose. Mas vamos à luta, pois mesmo roubados fomos campeões do Paranaense no profissional e nos juniores. O resto é o resto…



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…