28 dez 2005 - 21h02

Ticão: "Minha história no Atlético ainda não terminou"

RECIFE – Há menos de três semanas, o volante Ticão trocou o frio de Curitiba pelo calor de Recife. Aceitou uma proposta do Sport e foi emprestado ao clube pernambucano pelo período de um ano. É a primeira vez que ele joga em outro time sem ser o Atlético, onde iniciou sua carreira ainda na categoria infantil, há cinco anos. As cores da camisa permanecem as mesmas (vermelha e preta), mas há mais diferenças do que semelhanças entre Atlético e Sport. Além do clima radicalmente distinto, Ticão viverá a emoção de disputar a Série B do Campeonato Brasileiro e terá de enfrentar outros desafios que sequer passavam por sua cabeça quando estava no Furacão.

Mesmo sem ter estreado com a camisa do Sport, Ticão já caiu nas graças da torcida rubro-negra. Atentos aos treinamentos, os torcedores pernambucanos já perceberam as qualidades do volante habilidoso vindo do Sul e deram confiança ao jovem reforço. Em comentários postados nos espaços de debates dos principais sites do Sport, Ticão está ocupando espaço de destaque.

O reconhecimento vem também da comissão técnica e da imprensa. Para começar, o técnico Dorival Júnior promoveu Ticão ao time titular após um coletivo realizado nesta semana e confirmou que ele começará jogando no amistoso contra o Vera Cruz, nesta quinta-feira. Graças ao seu bom desempenho no treino, Ticão foi também tema principal de reportagem publicada no jornal Folha de Pernambuco desta quarta-feira (clique aqui para ler a matéria "Ticão é o mais novo titular do Sport").

Satisfeito com os elogios, Ticão espera ter sucesso na sua passagem pelo Sport. "Acho que será uma mudança boa para mim, tanto profissionalmente quanto pessoalmente. Acredito que eu vou evoluir bastante por estar saindo do ninho. Estou saindo de um clube muito bom, onde eu sempre tive experiências muito boas e onde eu fui muito bem tratado. Agora estou vindo para outra realidade, para jogar num clube onde ninguém me conhece, então acho isso muito interessante", afirma ele com exclusividade à Furacao.com após um extenuante treino em uma tarde de 30° em Recife.

Aliás, o calor foi a primeira diferença sentida pelo jogador. "Aqui a gente sofre bastante para treinar por causa do sol. Nós temos de acordar mais cedo porque o treino começa às 8h30 justamente para evitar o sol mais forte", conta. "O sol da tarde desgasta bastante e para dormir também é complicado, tem de ligar o ar condicionado, não tem jeito. Em casa tem de estar sempre com a janela aberta, é bem diferente de Curitiba", aponta o jogador.

Relação com o Atlético

Ticão recebeu o convite do Sport no final do Campeonato Brasileiro. Resolveu aceitar o desafio e deixar o Atlético pela primeira vez em sua carreira. "Achei a proposta do Sport interessante, não tanto pelo lado financeiro mas pelo fato de que o Sport está querendo crescer. O clube está querendo subir e ganhar títulos. Como eu estou mantendo uma média de ganhar um título por ano, achei interessante vir para cá buscar novos ares e tentar ser campeão aqui também", diz ele, campeão paranaense em 2005.

Ele deixou o Atlético insatisfeito com seu desempenho. Sempre destaque nas categorias de base, Ticão não conseguiu manter o mesmo nível no profissional e tem consciência disso. "Nos momentos em que eu estava na minha melhor fase eu não tive oportunidade de jogar. E quando eu tive oportunidade, o time estava numa situação bem complicada, que foi no início do Brasileiro", observa. Mesmo assim, sempre demonstrou vontade e raça. "Eu estou com a minha consciência tranqüila porque em todos os momentos em que o Atlético esteve em situação difícil eu sempre estava com o peito aberto e nunca fugi de nenhuma situação. Eu estava ali enfrentando, jogando e dando a vida para que a gente pudesse vencer. E se as coisas não foram tão boas para mim como jogador, foram boas para o time e isso é o que importa".

Ticão planeja evoluir no Sport e ter sucesso no clube para um dia voltar ao Atlético. "A minha história no Atlético ainda não terminou. Ainda tem capítulos para acontecer. Pelo que eu apresentei, eu mesmo não saí satisfeito do Atlético. Eu poderia ter produzido mais e ter assegurado a posição de titular nos momentos em que eu tive a oportunidade", reconhece o volante.

Isso não desanima Ticão. Muito ao contrário, serve de incentivo. "A minha vinda para o Sport eu acredito que vai trazer um benefício profissional bastante grande. Eu vim pensando nisso, vim pensando que aqui eu vou evoluir bastante para que um dia eu possa terminar essa página que eu comecei a escrever lá no Atlético e terminar com um pouco mais de glória, de mais importância. Apesar de eu ter jogado muitos jogos e ter ajudado o Atlético num dos melhores anos de sua história, eu acho que poderia ter produzido mais. Então, é uma pontinha que ficou que eu vou querer retomar um dia", afirma, já com saudades de Curitiba e do Furacão.



Últimas Notícias

Notícias

Já faz um ano….

Neste dia 04 de março faz exatamente um ano que o torcedor atleticano viu o Furacão de perto, ao vivo e em cores dentro da…