29 dez 2005 - 23h35

Petraglia diz que time não prioriza competição alguma

”Eu vim para vencer…. só eu sei porque eu não fico em casa!”. A música que embala a torcida atleticana durante os jogos do Furacão parece que vai servir de inspiração para o time durante toda a temporada 2006. Com quatro competições para disputar durante todo o ano (Paranaense, Copa do Brasil, Sul-Americana e Brasileiro), o Furacão arma um time competitivo, que vai brigar pelo título em todos os campeonatos que entrar. A afirmação parte do presidente do Conselho Deliberativo do clube, Mario Celso Petraglia.

“Não temos prioridade. Acho que o Paranaense é obrigação, Copa do Brasil nós queremos vencer, pois ainda é uma competição que o Atlético não tem no seu currículo; o Brasileiro o Atlético persegue todos os anos e tem a Sul-Americana, que vamos disputar pela primeira vez, e obviamente queremos ser campeões”, afirmou, em entrevista ao site da Placar. “O Atlético prioriza todas as competições que participa e quer ganhar todas”, completou.

De acordo com Petraglia, o time sempre entra em campo com a necessidade e a obrigação de vencer. “Futebol é uma provação e uma necessidade de vitória toda quarta e domingo. Nós queremos ganhar toda quarta e todo o domingo. Se tivermos jogo sábado, queremos ganhar no sábado também”, disse.

Durante esta semana, o site da Placar publicou em três partes uma entrevista especial com o homem-forte do Atlético. Nela, Petraglia reafirmou que o clube pretende continuar investindo em infra-estrutura para conquistar ainda mais lugar de destaque no futebol nacional. “O Atlético é o clube do momento, é a grife. A nossa camisa é a mais chique, as outras são bregas. Nas escolas todas, entre a meninada, os jovens, nós temos mais 50% da torcida, como a opção do clube mais moderno, o clube que se organizou, que dá melhor conforto, segurança aos seus torcedores. Somos o clube que tem o melhor centro de treinamento do Brasil, a melhor estrutura. Isto é uma opção do século 21, do terceiro milênio. O Atlético é o novo”, afirmou.

Rivalidade

Petraglia também comentou a questão da rivalidade, afirmando que para o Atlético pouco interessa os confrontos locais, contra Coritiba e Paraná Clube. “As competições são em nível nacional e internacional. As rivalidades regionais se reduzem a duas ou três partidas por ano e nós não podemos viver disso. Eu sempre disse que o Atlético tinha que rivalizar com os grandes clubes brasileiros e já acontece isto, temos grandes rivalidades aí: com o Fluminense, no bom sentido, com o Santos, no bom sentido, com o próprio São Paulo, agora, com este problema havido, da Libertadores e de outros incidentes. O Atlético é um clube hoje que tem rivais à sua altura e a recíproca é verdadeira. Nós queremos rivalizar com o Chivas, com o Boca Juniors, com o River Plate. Este é o nosso tamanho, esta é a nossa dimensão”, disse.

No site da Placar, a entrevista de Petraglia foi dividida em três partes. Confira cada uma delas:

Atlético-PR consolidou sua marca em 2005, diz Petraglia
“Atlético é o clube do momento, é o novo“, afirma Petraglia
Petraglia: “Atlético quer rivais à sua altura”



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…