15 jan 2006 - 21h05

Confira a coletiva de Vinícius Eutrópio

O técnico–interino Vinícius Eutrópio procurou amenizar os efeitos da derrota para o Rio Branco neste domingo, por 3 a 2, em Paranaguá, quebrando uma invencibilidade de 11 meses do Furacão contra times do interior paranaense. Para ele, o time pecou ao desperdiçar muitas chances de gol, minimizou as falhas da equipe e pediu calma aos jogadores na finalização das jogadas.

Além disso, Vinícius destacou a atuação do goleiro Vilson, elogiou a torcida presente no estádio do Leão da Estradinha e o empenho dos jogadores atleticanos em campo, mesmo com o forte calor de 32°C. “Temos que trabalhar com a realidade de que todo mundo quer ganhar do Atlético. Não somos imbatíveis”.

Confira a coletiva à imprensa do técnico–interino Vinícius Eutrópio:

DERROTA
"A derrota foi natural do ponto de vista do resultado porque tivemos mais de seis, sete oportunidades. No time deles, o destaque principal foi o goleiro, que teve velocidade e agilidade muito boa, fazendo defesas importantíssimas. Neutralizamos todas as jogadas e tomamos os gols em bolas paradas. Mas o pessoal está de parabéns porque suportou o calor e dominou o jogo o tempo todo. Em termos de volume de jogo, de criação de jogadas, finalizações, nós temos um número bem superior aos deles".

ARBITRAGEM
"A arbitragem foi tranqüila. Às vezes acontece uma coisa ou outra, mas hoje a arbitragem não teve influência nenhuma no jogo, que foi sem violência. As equipes estão de parabéns".

ERROS E ACERTOS
"Foi a gente colocar a bola pra dentro mesmo. Nós tínhamos a bola no chão, movimentação de jogo, espaço no campo, mas nossos jogadores não conseguiram fazer o gol. Eles (Rio Branco) também tiveram seus méritos com o goleiro deles. Nós não conseguimos finalizar as bolas, tivemos seis, sete oportunidades claras para mudar a partida. Temos que continuar treinando forte, pois ainda estamos no início da temporada. Se você analisar que começamos a trabalhar domingo passado e não em todos os períodos, houve uma distância de um jogo pra outro. Temos que treinar finalização e conclusão e ter calma, ver que nada acontece de uma hora pra outra. Nós tivemos mais méritos do que defeitos. É só ver a nossa qualidade nos desarmes sem falta e como ganhamos a maioria das jogadas".

TORCIDA
"A torcida deles estava muito bonita. A do Atlético veio em bom número nos prestigiar. As torcidas estavam participando bastante, uma gritava de um lado, a outra incentivava do outro. O que vale é isso, um espetáculo bonito e sem violência".

DEFESA
"Tomamos dois gols de bola parada, que nós já tínhamos treinado. Você deixar um jogador antecipar a jogada na pequena área é mortal. Mas isso precisa ser treinando sempre, embora a gente soubesse que eles tinham essa jogada forte, a gente tinha que ter neutralizado. Eu só tinha uma opção ofensiva, a busquei e acredito que foi bem executada. O Jonatas abriu, ficamos com três atacantes e prendemos o lateral deles. Procuramos colocar o David, outro armador que nós tínhamos, e um atacante. Utilizei o lado direito com o Jonatas para abrir o lado direito deles e o David para trabalhar a movimentação. Já tínhamos 20 minutos de jogo e assim conseguimos resgatar o domínio no meio-campo. Dificultamos o jogo pra eles e acabamos encostando no placar".

CALOR
"Acredito que nós até suportamos a temperatura mais do que esperávamos. Incentivamos os jogadores na palestra dizendo que eles iriam tirar isso de letra e eles terminaram o jogo inteiros. Mesmo porque, você perdendo e conseguir roubar a bola do adversário sem falta, armar a jogada e chegar no campo ofensivo deles com a posse de bola, a chance de gol, requer uma série de condições físicas. O Brasil todo modifica as atividades em cima do horário de verão e o futebol não. Por que isso? Acho que poderíamos jogar um pouco mais tarde, sem problemas".

ADVERSÁRIOS
"Eu sempre disse que a tônica tem que ser o respeito ao adversário, independente de time A ou B. Vamos manter isso e procurar trabalhar isso sempre em prol do Atlético. Talvez quarta já teremos um número maior de atletas, o que melhora as opções para fazer as mudanças táticas no jogo. A gente trabalha com a realidade que todo mundo, ou a grande maioria dos times, quer ganhar do Atlético. Por isso temos que pensar que nós não somos imbatíveis mesmo, eu falei isso na palestra antes do jogo. Vamos sempre pregar que a nossa primeira atitude tem que ser o respeito, tanto que hoje respeitamos o Rio Branco e fomos bem. Se não houvesse respeito, não teria marcação e a entrega dos nossos jogadores nos 90 minutos".

CAMPEONATO
"O campeonato é muito bom e agora, depois dessa derrota, temos que procurar pontuar nesses dois jogos em casa. Jogar na Arena facilita pois é uma arma que temos. Os jogadores estão adaptados a isso e vai facilitar o nosso caminho para as vitórias".

NOVIDADES
"Para quarta-feira, aqueles atletas que estiveram à disposição eu irei utilizar. Tendo a liberação da diretoria e do departamento de registro. Já jogamos duas partidas com um time misto, agora os outros jogadores têm que fazer uma seqüência de jogos também para o time estar padronizado".



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…