15 jan 2006 - 18h53

Jogadores lamentam falhas nos gols sofridos

“Nós bobeamos nos três gols e perdemos o jogo”. A frase do zagueiro Paulo André resume o sentimento dos atletas do Furacão após a derrota por 3 a 2 para o Rio Branco, em Paranaguá. Nos dois primeiros gols do Rio Branco na partida, o lance foi igual: cobrança de escanteio na pequena área, com os jogadores do time de Paranaguá subindo sem dificuldades para balançar as redes do goleiro Tiago Cardoso. Já no gol que deu a vitória aos donos da casa, o sistema defensivo atleticano permitiu que o lateral Baiano fizesse excelente jogada, até concluir contra o gol atleticano.

“Realmente a gente pecou na marcação, mas vamos trabalhar isso durante a semana, pois quarta já temos jogo em casa com o apoio da torcida”, concluiu o atacante Cleo.

Falhas também na finalização

Mas não só as falhas no sistema defensivo resultaram na derrota para o Rio Branco. “Infelizmente, não conseguimos concluir as oportunidades que tivemos e a equipe deles concretizou. Quem não faz, leva”, disse Cleo. “Nós erramos as finalizações, temos de treinar mais”, completou o atacante.

Para o técnico-interino do Atlético, Vinícius Eutrópio, o conjunto de falhas, tanto na defesa quanto no ataque, resultaram na derrota do time, a primeira do Atlético na temporada 2006. Além disso, ele também preferiu destacar os méritos do adversário, que foi feliz nos lances dos gols, além do goleiro Vilson, que para Eutrópio teve importância fundamental na vitória do Rio Branco. “Tivemos muito mais méritos que defeitos. Pecamos no último toque, na finalização”, disse.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…