6 fev 2006 - 22h14

O primeiro mês do ano

Em meio a dúvidas e mistérios, alegrias e tristezas, o atleticano deixa o mês de janeiro de 2006 para trás e inicia o mês de carnaval cheio de esperanças. No balanço geral do mês, cabe a cada um de nós, torcedores rubro-negros, avaliar, comparar e finalmente chegar às nossas conclusões se o primeiro mês do ano foi positivo ou não.

Para facilitar a análise do leitor atleticano, elaboramos e lançamos de forma inédita uma retrospectiva com os momentos mais marcantes do Atlético desde o primeiro dia do ano, estendendo-se por todo o mês de janeiro, um mês que foi de dificuldades dentro de campo, mas que fora dele nos mostrou um Atlético mais ousado do que nunca.

A todos os leitores, um bom passeio pelo primeiro mês do ano.

Elenco

Erandir e Rodrigão – Logo no início do ano a diretoria anunciou a contratação do volante Erandir. O jogador, que já esteve no Atlético em 2001, cumpria seu contrato junto ao Fortaleza e optou pela transferência e pelo retorno ao CT do Caju a partir deste ano. Entre contratações e retornos de jogadores que estavam emprestados a outros clubes, a diretoria atleticana anunciou também a chegada de Rodrigão, atacante que estava no Santo André. Dono de seus direitos federativos, Rodrigão assinou um contrato de dois anos com o Furacão.

Cléber e Michel Bastos – Como já era esperado também pela torcida atleticana, retornam à Baixada o lateral-esquerda Michel Bastos, considerado o melhor em sua posição no ano passado pelo Figueirense, e o goleiro Cléber, que realizou excelente temporada no Santa Cruz, ajudando inclusive o clube a retornar à primeira divisão do futebol nacional, junto com o Grêmio.

Adriano "Gabiru" – Adriano chegou novamente ao Atlético, mas ainda teve sua situação indefinida. O jogador foi procurado pelo Internacional e negociou com o Atlético a sua transferência para o clube gaúcho. Mesmo assim, vestiu a camisa rubro-negra no início da temporada, enquanto negociação não estava concretizada.

Aloísio – Ainda no mês de janeiro, o Atlético e sua torcida acabaram assistindo o jogador Aloísio criar uma enorme polêmica nos meios esportivos. Anunciando seu desejo de permanecer no São Paulo, clube a quem o Atlético emprestou o atleta, Aloísio não demonstrou interesse em retornar à Baixada. Este assunto deve se estender durante o mês de fevereiro, quando será definida a situação do atacante.

Dagoberto e Pedro Oldoni – Janeiro também foi o mês decisivo para a permanência do atacante Dagoberto, atleta que também acabou sendo alvo de polêmica com a Massa Sports e com o o Atlético. Enquanto o craque ainda aguarda uma possível renovação de contrato, Oldoni acertou com o Furacão por mais quatro anos.

Marcão – A maior baixa sentida pela torcida atleticana foi, sem dúvida, o lateral Marcos Scavinski, ou o "Marcão do Atlético". O sinônimo da raça atleticana deixou o clube e foi emprestado ao Kawasaki Frontale, clube japonês que terá o jogador por um ano. Vale lembrar que Marcão possui vínculo com o Atlético até o final de 2007.

"Marcão do Atlético", agora no Japão [foto: arquivo]

Técnico

Lothar Matthäus – E quando todos, ou pelo menos a grande maioria apostava em Toninho Cerezo, eis que a diretoria atleticana surpreende a nação rubro-negra. Como quem não quer nada, chega a Curitiba o craque da seleção da Alemanha, Lothar Matthäus. Meio desconfiado, o atleticano espiava as novidades e aguardava o resultado da tal "visita" que Matthäus fazia às estruturas do Atlético. Imediatamente os boatos tomaram proporções gigantescas, a mídia iniciou um vasto trabalho de especulações, até que a notícia mais esperada do ano foi anunciada. Lothar Matthäus, um dos grandes destaques do futebol mundial, é do Atlético. O assunto "Atlético Paranaense" passou a ser o grande foco de toda a imprensa do mundo inteiro. O "Paranaense", desta vez, deu um passo mais ousado que nunca.

Paulo Rink – Junto com a notícia da contratação de Matthäus, surgiu a possibilidade do retorno do atacante Paulo Rink ao Atlético. O jogador que foi ídolo na década de 90, chegou a ser procurado pelo clube para assumir o cargo de auxiliar técnico de Matthäus, surgindo até rumores de que Paulo pudesse voltar para jogar no ataque do Furacão. A negociação não se concretizou.

Retomando aos treinamentos

Ivan, Dagoberto, Evandro e Fabrício – Notícias boas sobraram para o torcedor atleticano em janeiro. Entre eles, os retornos de Ivan, Dagoberto, Evandro e Fabrício aos treinamentos, o último longe dos gramados desde o jogo contra o São Paulo pelo Campeonato Brasileiro, na Baixada, em 2005, quando foi fortemente atingido em uma dividida de bola no meio de campo. Fabrício passou por uma pequena cirurgia e já está em plenas condições de jogo.

Reconhecimento

Kyocera Arena – A Arena da Baixada é o único estádio com recursos e condições de receber um jogo de Copa do Mundo. Assim reconheceu João Havelange, presidente de honra da FIFA, em entrevista concedida no mês de janeiro e publicada pelo site Globoesporte.com. Segundo Havelange, os estádios brasileiros teriam que passar por reformas e até reconstruções, até que fossem encontradas condições para receberam os jogos internacionais. A Kyocera Arena, segundo o presidente e como opinião unânime de todos os conhecedores do futebol, é a única exceção no país.

Dívida quitada

Denis Marques – Finalmente o clube divulgou a quitação da multa do atacante Denis Marques. O jogador foi contratado pelo Atlético em 2004, junto ao Kuwait Sporting, porém sem qualquer multa de rompimento de contrato. O clube ingressou na FIFA contra o atleta cobrando um valor de US$ 700 mil, o qual finalmente foi quitado pelo Atlético.

Ingressos mais caros

Para se ter o conforto e toda a comodidade da bela Arena da Baixada, o torcedor pagará mais caro em 2006. Os novos valores de ingressos foram divulgados pelo clube, e como novidade não há mais divisão de valores entre as curvas e as retas atrás do gol. Ambas passaram a custar R$ 25 e a reta inferior da Getúlio Vargas passou de R$ 30 para R$ 40. Apenas o setor Getúlio Vargas superior permanece o mesmo valor de R$ 60,00.

Atlético em campo

Galo Maringá – Teve início em 11/01 o Campeonato Paranaense e o Atlético, comandado pelo interino Vinícius Eutrópio, foi a Maringá arrancar a primeira vitória por 2 x 0, com gols de Pezzolano e Rodriguinho.

Calor na estradinha – O embalo da estréia não serviu para empurrar o time para a segunda vitória no campeonato, e na estradinha, sob um forte calor, quem se deu bem foi o Rio Branco de Paranaguá, que venceu o jogo por 3 x 2. Os gols do Furacão foram anotados por Pezzolano e Alan Bahia.

Nem com o apoio da torcida, o Atlético passou
pelo J. Malucelli [foto: arquivo]

Matando a saudade – Enfim chegou o dia do reencontro do Atlético com sua torcida na Kyocera Arena. Inspirado e ousado, o Furacão passou por cima do Nacional de Rolândia pelo placar de 5 x 1. Quase 6 mil pessoas viram o Furacão varrer o adversário com gols de Adriano, Jancarlos, Denis Marques, Rodrigão e Danilo.

Empate na Baixada – Veio o segundo jogo na Baixada e ao contrário do que o torcedor pensava, o Atlético sofreu e apenas empatou em 2 x 2 com o Francisco Beltrão. Desta vez, quase 5 mil atleticanos presenciaram Denis Marques e Danilo fazer os dois gols rubro-negros.

Tragédias anunciadas – Mais dois jogos fora e mais dois sofrimentos. No dia 25/01 em Iraty, o Atlético não conseguiu segurar o Azulão e perdeu por 3 x 2. Mesmo virando o jogo com dois gols de Denis Marques, o Furacão abriu espaço para o dono da casa fazer mais dois e ficar com os três pontos. E no último jogo do mês, em São José dos Pinhais, contra o J. Malucelli, Alan Bahia abriu o marcador, mas novamente o Atlético errou e cedeu o empate, desta vez no final do jogo.

Sai Eutrópio, entra Matthäus – Entre falha e lamentações, a torcida atleticana encerra o mês de janeiro e inicia o próximo mês com a chegada do técnico Lothar Matthäus. Vinícius Eutrópio deixa o comando interino do time e dá lugar ao alemão, que chega com a esperança de arrumar a casa e fornecer organização tática e resultados positivos dentro de campo.

Petraglia: "Não se pode duvidar do Atlético"
[foto: arquivo]

Sem televisão

De forma inédita, representantes dos clubes que disputam o Campeonato Paranaense, definem que não há mais acordo para as transmissões dos jogos do campeonato, e ainda que os lances televisionados estariam limitados e deveriam ser respeitados.

CNT – Em reunião realizada na sede da FPF, a rede de televisão CNT negocia e é autorizada a exibir com exclusividade o Campeonato Paranaense a partir da segunda fase do torneio.

Frase do mês

Mario Celso Petraglia – Em entrevista concedida a uma rádio de Curitiba no mês de janeiro, Mario Celso Petraglia fala sobre os objetivos, planejamento e estratégias do Atlético para o novo ano. Nada pode resumir melhor o orgulho do torcedor atleticano do que a frase dita durante a entrevista: "Não se pode duvidar do Atlético".



Últimas Notícias

Notícias

Já faz um ano….

Neste dia 04 de março faz exatamente um ano que o torcedor atleticano viu o Furacão de perto, ao vivo e em cores dentro da…