14 fev 2006 - 22h39

Raio-x do Moto Club

Faltando pouco menos de 24 horas para a estréia do Atlético na Copa do Brasil, chegou a hora do torcedor atleticano conhecer um pouco mais sobre o Moto Club, primeiro adversário do Furacão na competição. Na distante São Luís, no Maranhão, há 3.230Km da capital paranaense, o Papão do Norte faz a alegria da torcida motense, representada pelos Motofolia e Dragões da Fiel.

O time maranhense tem uma relação especial com o Atlético. Além de usar as cores rubro-negras, o Moto revelou dois jogadores que fizeram história no Furacão: em 1999 o lateral-esquerda Vanin e o atacante Kléber desembarcaram no CT do Caju para ajudar o clube no Campeonato Brasileiro e na Seletiva da Libertadores. Com faro de gols, Kléber brilhou no Atlético e em 2001 foi peça fundamental na conquista do título Brasileiro. O atacante é também o maior artilheiro até hoje da história da Arena, com 67 gols.

Atlético e Moto Club se enfrentaram apenas uma vez na história. Foi na Copa Brasil de 1975, competição que equivale ao atual Campeonato Brasileiro. Jogando no antigo Belfort Duarte, em Curitiba, o Atlético goleou o time maranhense por 5 a 1, gols de Buião, dois de Caio e outros dois de Anderson, com Petinha descontando para o Moto. Agora, os dois times começam a escrever a história do segundo confronto de rubros-negros. De um lado, o Papão do Norte. Do outro, o Furacão da Baixada. Um confronto decisivo, que vale vaga na segunda fase da Copa do Brasil.

Para saber um pouco mais sobre o adversário do Atlético na estréia da Copa do Brasil, a Furacao.com preparou um raio-x especial do time maranhense. Com vocês, o Moto Club de São Luís:

História

Um clube dedicado ao motociclismo e ao ciclismo. Foram com esses propósitos que no dia 13 de setembro de 1937 foi fundado o Ciclo Moto, que anos mais tarde se transformou em Moto Club de São Luís. Inicialmente, as cores do clube foram o branco e o verde. Mas, a partir de 1939, quando foi criado o departamento de futebol, a equipe passou a adotar as cores rubro-negras. A primeira partida oficial do Moto Club foi em 17 de setembro de 1939, contra o então campeão estudantil, o Ateneu. O jogo terminou empatado em 1 a 1.

Em 69 anos de história, o Papão, como é conhecido o Moto Club lá no Maranhão, conquistou em 20 oportunidades o título de campeão estadual. Destaques para o heptacampeonato (de 1944 a 1950) e aos dois tricampeonatos (1966-1968 e 1981-1983). Hoje, o Rubro-Negro amarga um jejum de seis anos sem levantar a taça do campeonato Maranhense, com o último título tendo sido conquistado em 2000.

Nome oficial: Moto Club de São Luís
Data de fundação: 13/09/1937
Presidente: Ubirajara Torres
Site oficial: www.motoclubsaoluis.com.br

Hino Oficial

Moto Club de tantas tradições
Colocado entre grandes vencedores
Seu nome vive em nossos corações
E nos lábios de muitos torcedores
Campeão de feitos gloriosos
De heroísmo sem par e de coragem
Receba agora neste instante
A nossa mais esplendida homenagem
Oh! Moto surpreendente
Time de fibra e garra
Quando te lança à frente
Nenhuma defesa te barra
Nos gramados daqui ou de outros Estados
Honra o Moto o valor da nossa gente
Grande foi em todo seu passado
Ainda maior agora em seu presente
Nosso lema é vencer de ânimo forte
Com justa fama de Papão do Norte
Marchemos nesse instante para a glória
Na conquista de mais uma vitória
Oh! Moto, surpreendente, time de fibra e garra
Quando te lanças à frente
Nenhuma defesa te barra

Estádio

Palco da partida de estréia do Furacão na Copa do Brasil 2006, o Estádio Municipal Nhozinho Santos foi inaugurado no dia 1° de outubro de 1950, com a vitória por 2 a 1 do Sampaio Corrêa sobre o Paysandu. Naquela época, a praça recebeu o nome de Presidente Dutra. Hoje, o estádio é uma homenagem a Joaquim Moreira Alves dos Santos, o Nhozinho Santos, filho de um grande industrial maranhense.

Com capacidade para 21 mil pessoas, o Gigante da Vila Passos (como é conhecido o estádio) tem o gramado com dimensões parecidas com o da Kyocera Arena: 110m x 75m. O recorde de público aconteceu em 1980, no empate por 0 a 0 entre Maranhão e Vasco. Já o menor público registrado foi de apenas um pagante, no dia 20 de agosto de 1988, no empate por 0 a 0 entre Tupan e Vitória do Mar.

Destaques

Um time ainda em formação. É mais ou menos esse o perfil do adversário do Atlético na estréia da Copa do Brasil 2006. Da equipe de juniores que brilhou na última edição da Copa São Paulo, o Moto Club se desfez de suas principais revelações, como o meia Palito. Por isso, na semana passada, o técnico Sandow Feques cobrava da diretoria novos reforços, temendo um vexame do rubro-negro maranhense contra o Furacão do Paraná. O medo não era à toa: em duas partidas até então na temporada, o clube havia sido goleado em uma e empatado na outra. Os reforços vieram e, com eles, a primeira vitória no ano, conquistada no último fim-de-semana, por 2 a 1 sobre o Imperatriz.

Os destaques do time são justamente as caras novas. Entre eles, o meia Valtinho, que traz boas recordações à torcida motense, tendo participado do último título estadual do clube, em 2000. Outro destaque é o meia Dinar, uma das principais peças do rival Imperatriz no título Maranhense do ano passado. E, ainda, o atacante Valber, que no ano passado disputou o Campeonato Brasileiro pelo Goiás e foi ídolo do Sampaio Corrêa.

A provável escalação para enfrentar o Atlético é: Marabá; Careca, Jefferson, Givanildo e Alexandre; Valtinho, Deco, Diná e Válber; Juninho e Gabriel.



Últimas Notícias

Notícias

Já faz um ano….

Neste dia 04 de março faz exatamente um ano que o torcedor atleticano viu o Furacão de perto, ao vivo e em cores dentro da…