17 fev 2006 - 23h41

No Rio, Matthäus faz um balanço sobre seu trabalho

O ex-capitão da seleção alemã e atual técnico do Atlético Paranaense, Lothar Matthäus, está na capital carioca a convite do compatriota Franz Beckenbauer. Ambos fazem parte do Comitê Organizador da Copa do Mundo da Alemanha e vieram divulgar o evento no País. Em entrevista coletiva num hotel da zona oeste do Rio, além de falar sobre a Copa, comentou como está sendo sua experiência no comando de um clube brasileiro.

"Não conhecia nada sobre o Atlético Paranaense. Nenhum jogador, nem mesmo o Dagoberto. Não tinha qualquer tipo de informação sobre o clube", disse. Matthäus também negou a informação de que o ex-jogador do Atlético, o atacante Paulo Rink, tenha sido convidado por ele para ser seu assistente técnico: "Apesar de ser amigo pessoal dele, nunca houve esse convite."

A respeito da sua recepção no Brasil, o campeão mundial pela Alemanha, diz estar muito feliz e não esperava que fosse tão boa. "As pessoas são só sorrisos para mim", falou. O idioma, porém, ainda é uma dificuldade para o Senhor Toca a Bola, como foi apelidado pelos seus comandados no Atlético, por só saber falar essas palavras em português.

Quando o assunto chegou à Copa do Mundo, Matthäus foi modesto e disse que a Seleção Brasileira é a grande favorita para conquistar o mundial. "Mas é preciso ficar atento ao primeiro jogo do Brasil. A equipe da Croácia é muito perigosa", confidenciou o alemão.

Acertar a equipe paranaense, contudo, é o grande interesse do treinador. Apesar de reconhecer a importância do Campeonato Paranaense, ele sabe qual será o verdadeiro desafio: "Eu sei da importância dos estaduais, mas nosso foco é no Campeonato Brasileiro". No comando do clube paranaense há cinco partidas, Matthäus está invicto, ganhando todos os jogos que disputou.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…