O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
21 fev 2006 - 10h44

Arbitragens

O futebol é um espetáculo, onde cada artista tem um papel importante para que haja um bom andamento do show! Neste espetáculo o jogador tem que ter vontade, jogar bola, ser leal e se possível ser “mágico”, os técnicos devem ser prudentes e inteligentes, devem ser verdadeiros jogadores de xadrez, as diretorias devem sempre zelar pelo palco do show, e a platéia sempre participativa, deve se exaltar apenas na alegria e na cobrança sadia, sem violência ou atitudes que prejudiquem direta e indiretamente seu clube.

Porém este mesmo espetáculo deve ter árbitros, com objetivo de manter a ordem, disciplina, lealdade e credibilidade ao espetáculos. Pois “o homem é o lobo do homem”. Pois é, os espetáculos estão ai, com algumas falhas, mas estão sempre escrevendo belas histórias no livro do futebol brasileiro. No entanto, as falhas que persistem e muitas vezes destroem o espetáculo, tornando ele um show sem credibilidade.

Com esta breve introdução, gostaria de fazer uma critica à arbitragem paranaense e brasileira, pois os erros e a passividade quanto a violência, estão chegando a um status fora da realidade. Tais fatos, se fossem observados 15 anos atrás, poderiam sugerir que as arbitragens estariam viciadas. Porém os tempos são outros, e o que se percebe (apesar dos escândalos de manipulação de jogos), é que nossos árbitros não são desonestos! São ruins!

Ruins? Poderia “descer a lenha” nos árbitros, principalmente depois do jogo Rio Branco e Nacional. Porém o que percebo é que existem vários fatores que influenciam tais erros. Primeiro a “bola laranja”. E em segundo é a evolução que o jogo de futebol teve durante todo o seu século de existência. O jogo está muito veloz, as jogadas estão mais velozes e complexas, os atletas estão mais velozes. Porém, as regras são arcaicas, não acompanharam a evolução. Já estava na hora de ser colocado em prática o uso de sete árbitros, quatro auxiliares, dois árbitros de campo, um para cada lado, e um fora do campo para acompanhar a transmissão e sanear dúvidas quanto a gols legais ou ilegais, e até pênalti.

Pois o futebol, a tempo deixou de ser um esporte amador. Atualmente ele é um empreendimento, onde se investe muito dinheiro. E quando um clube é prejudicado por um erro, muita gente pode perder dinheiro, quando um jogador é agredido deslealmente em campo, o clube e o jogador têm prejuízo. Daí acontece de jogadores de alto nível técnico e de bom salário, não entrarem com espírito de jogo em campo. Tudo porque não possuem a confiança necessária no árbitro, pois será que ele vai ser rigoroso, será que ele será o limite contra violência? Pois querendo ou não a violência castiga os craques. E dá prejuízo aos clubes e jogadores!

Em uma de minhas colunas critiquei a falta de vontade dos jogadores do Furacão, porém não havia analisado este ponto de vista. Sem demagogia, mas já passou da hora dos sindicatos dos jogadores e sindicato dos árbitros cobrarem mudança no regulamento do futebol. Mesmo existindo resistências.



Últimas Notícias

Brasileirão A1|Opinião

NEM 8, E NEM 80

O título do que será relatado abaixo, resume muito o sentimento desse ilustre torcedor quem vos escreve.   Na noite de ontem o Furacão entrou…