21 fev 2006 - 21h22

Lima e Aloísio podem não ser inscritos na Libertadores

Ano passado, eles foram vice-campeões da Libertadores com a camisa do Atlético e juntos marcaram 10 gols para o Furacão na competição. Agora, a ex-dupla de ataque do Rubro-negro, formada por Lima e Aloísio, sonha em retornar à competição mais importante do continente defendendo o São Paulo. Mas para inscrever os dois jogadores na Libertadores, o São Paulo corre contra o tempo. Isso porque termina nesta sexta-feira o prazo para que o time paulista inscreva atletas para a primeira fase da competição. E a documentação dos dois jogadores ainda não está regularizada na CBF.

O caso de Lima é aparentemente mais simples. Depois de ser negociado pelo Atlético com o clube árabe Al-Ittihad, Lima foi emprestado ao time do Morumbi. Algumas complicações na hora do acerto final entre os dois clubes, no entanto, acabaram atrasando as negociações. Um atraso que pode valer a inscrição do atleta na Libertadores. “Agora, tudo está indo bem mais fácil, e esperamos pelo desfecho dessa negociação nos próximos dias. Só acho difícil que aconteça nesta quarta e que ele possa ser inscrito na Libertadores”, disse o superintendente do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, em entrevista à Agência Estado. Na Libertadores 2005, Lima foi o artilheiro do Atlético, com seis gols.

Já a situação de Aloísio é bem mais complicada. Atlético e São Paulo brigam pelos direitos do atleta. Isso porque o Furacão tem um contrato assinado pelo jogador em novembro, antes de seu empréstimo ao São Paulo. Já os paulistas afirmam que Aloísio pertence ao clube russo Rubin Kazan, que emprestou o atacante para o Morumbi até a metade do ano. Uma liminar da Justiça do Trabalho de Curitiba determinou na última quinta-feira que o atleta se apresentasse imediatamente ao Furacão – o que ainda não aconteceu.

Os dirigentes do São Paulo esperam um pronunciamento da CBF para tentar inscrever o atleta na Libertadores. A entidade ainda não se posicionou sobre o assunto, mas no BID (Boletim Informativo Diário) a CBF reconhece Aloísio como sendo jogador do Furacão. No entanto, a Agência Estado informa que dirigentes do São Paulo garantem ter visto, em papel impresso, uma decisão da CBF, que garante a inscrição de Aloísio. A entidade teria reconhecido que os direitos do jogador pertencem ao Rubin Kazan, da Rússia, e não ao Atlético.

Fonte: Agência Estado (adaptada)



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…