24 fev 2006 - 6h37

Manchetes atleticanas desta sexta-feira

Advogado do escritório de Gionédis consegue liberar Aloísio
Na guerra entre Atlético e São Paulo pelo atacante Aloísio, o clube paulista levou a melhor com a ajuda do escritório de Giovani Gionédis, presidente do Coritiba. O clube paulista vai poder contar com o jogador na primeira partida da Libertadores. Um despacho da Justiça do Trabalho autoriza o atleta a retornar aos treinos pelo clube paulista enquanto a pendenga não é resolvida.

 

Patrocínio na carona de Matthäus
A entrega do Volkswagen Touareg a Lothar Matthäus, ontem à tarde, na Arena, não significou apenas que o treinador rubro-negro terá à disposição uma máquina invejável para rodar pelas ruas de Curitiba. Marcou o início de uma segunda etapa dentro do relacionamento entre o Atlético e o alemão que, graças ao nome forte no cenário internacional, vem trazendo benefícios extra-campo consideráveis para o clube.

 

Furacão segue em busca de reforços
Especulações dão conta de que o lateral-direito Carlos Alberto, do Itabuna, da Bahia, está perto de um acordo com o Atlético Paranaense, que pretende continuar contratando mais reforços para a temporada de 2006.

 

São Paulo ganha tempo no caso Aloísio
O São Paulo conseguiu ontem uma autorização da Justiça do Trabalho para inscrever o atacante Aloísio na Copa Libertadores e utilizá-lo na estréia da equipe na competição, em 1º de março. “A liminar caiu parcialmente. A juíza autorizou tão somente a participação dele nesse primeiro jogo”, afirmou o advogado Marcus Malucelli, que defende o Atlético. Ele explicou que o jogador deve se apresentar em 3 de março para a audiência sobre o caso, em Curitiba.

 

Recuperado, Fabrício pode ser a principal novidade no Atlético
O Atlético finalmente pode ter o retorno do meia Fabrício na partida de amanhã, contra o Iraty, na Kyocera Arena. O jogador ainda sente dores no joelho esquerdo mas foi liberado pelo departamento médico do clube.

 

Clima no Atlético cada vez mais pesado
Dentro de campo, tudo parece estar caminhando no rumo certo. Fora dele, porém, o Clube Atlético Paranaense transformou-se num verdadeiro caldeirão em ebulição. As pessoas no clube não falam a mesma língua e está todo mundo atirando para todos os lados. Primeiro, a briga já pública entre o atacante Dagoberto e o presidente João Augusto Fleury da Rocha.

 


Últimas Notícias

Notícias

Já faz um ano….

Neste dia 04 de março faz exatamente um ano que o torcedor atleticano viu o Furacão de perto, ao vivo e em cores dentro da…