14 mar 2006 - 9h27

Atlético integra comissão que estuda cotas de TV

O Atlético é um dos clubes que integram uma comissão especial que vai estudar as propostas apresentadas por duas empresas de consultoria contratadas pelo Clube dos 13 para o rateio da cota de televisão do Campeonato Brasileiro. As sugestões apresentadas pelas empresas Informídia e TNS levam em consideração aspectos como a posição do time no campeonato, número de gols, exposição na tevê, torcida, média de público, além da tradição de cada equipe.

Representantes desta comissão estarão reunidos na próxima terça-feira, dia 21, para começar a estudar o caso. Eles terão que chegar a um acordo até o início de abril, já que o Campeonato Brasileiro tem sua rodada de abertura no dia 16 de abril, quando o Furacão recebe o Fluminense na Kyocera Arena.

A divisão de cotas valerá para o próximo triênio, já que o contrato com a Rede Globo pelos direitos de transmissão do Brasileirão vão até 2008.

Divisão de cotas

O principal ponto de discordância na interpretação da divisão das cotas está entre os clubes considerados do primeiro escalão no rateio da verba. Hoje, Corinthians, Flamengo, São Paulo, Palmeiras e Vasco recebem cerca de R$ 21 milhões do montante pago pela TV. O Santos tem direito a algo em torno de R$ 15 milhões, seguido de Grêmio, Internacional, Botafogo, Cruzeiro e Fluminense. Em se tratando de futebol paranaense, o Atlético é o clube que mais ganha verbas da TV, cerca de R$ 11 milhões. O Paraná ganha R$ 4 milhões e o Coritiba, rebaixado para a Série B, R$ 5,5 milhões.

Como os critérios sugeridos pelas empresas de consultoria tendem a beneficiar mais Flamengo e Corinthians, os demais clubes do primeiro escalão (São Paulo, Palmeiras e Vasco) não concordaram. Por isso, a função da comissão será analisar os referenciais sugeridos pelas duas empresas, para se chegar a um acordo. Como não são referenciais fixos, acabaram causando controvérsia na reunião de ontem. Entre os pontos de discussão estão a dificuldade em se adiantar algumas cotas.

Para o presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, a nova fórmula não difere muito da já adotada no rateio das verbas. “A metodologia usada está correta, é a mesma. Existem apenas algumas pequenas distorções e essas que ainda serão mais analisadas”, disse em entrevista ao portal Gazeta Esportiva.

Com informações da Gazeta Esportiva



Últimas Notícias

Brasileirão A1

Aleluia!

Pela rodada 13 do Brasileirão, no Barracão, Vitória 0 x 1 Athletico. Vindo de uma sequência horrorosa de resultados o Athletico precisava se recuperar no…