16 mar 2006 - 19h46

Givanildo foi procurado pelo Atlético

O retorno do alemão Lothar Matthäus ao comando técnico do Atlético parece estar cada dia mais distante. Depois de viajar à Europa para resolver problemas pessoas, o treinador entrou em contato com a diretoria do clube e disse que não tinha previsão para voltar a Curitiba e reassumir seu trabalho. Na ausência de Matthäus, o Rubro-Negro perdeu o primeiro jogo das quartas-de-final do Campeonato Paranaense (2 a 1 para a ADAP). Nos bastidores, comenta-se que o presidente Mario Celso Petraglia teria ficado irritado com a ausência de Matthäus.

Nesta quinta-feira, a Rádio Jornal do Commercio, de Recife, divulgou a notícia de que o Atlético teria entrado em contato com o técnico Givanildo de Oliveira, do Santa Cruz, e o procurado para assumir o comando do time. Isso seria um indício de que o clube estaria tomando medidas para resolver a questão do comando da equipe caso Matthäus não retorne ao Brasil.

À imprensa de Recife, Givanildo declarou que está estudando a proposta do Atlético. "Tenho tudo que preciso aqui (no Santa Cruz), não me falta nada. Há também o fator familiar que me estimula a ficar em Recife, mas sou um profissional e tenho que saber o que é melhor para mim. Não há nada certo, só estou estudando a proposta", afirmou ele ao site oficial do Santa Cruz.

Entrevista

Logo após as declarações de Givanildo de Oliveira à Rádio Jornal do Commercio, a equipe de reportagem da Furacao.com entrevistou o técnico por telefone. Ele confirmou que foi procurado pelo Rubro-Negro. "Sim, teve mesmo um contato. Eu já fiz minha proposta, inclusive", afirmou. Givanildo disse que foi procurado pelo empresário Nivaldo Gomes, que representa o Atlético em Pernambuco.

Nivaldo questionou a Givanildo o interesse de ele trabalhar no Atlético e pediu que ele fizesse uma proposta de salários. "É preciso esclarecer que eu ainda não conversei diretamente com o Dr. Mário (Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do Atlético). Estou aguardando um contato", revelou o treinador. Ele disse que a consulta do Atlético é para que o técnico assuma a equipe imediatamente, o que faria com que Givanildo tivesse de deixar o Santa Cruz no meio do Campeonato Pernambucano e da Copa do Brasil.

"Eu tenho um contrato com o Santa Cruz, mas esse contrato reza que eu posso deixar o clube no momento em que surgir algo interessante, assim como eles também podem me dispensar. Ano passado aconteceu várias vezes de clubes me procurarem, mas que não quis sair", explicou.

Durante o ano de 2005, quando conduziu o Santa ao vice-campeonato da Série B, Givanildo declarou publicamente que só deixaria o tricolor caso recebesse proposta de algum dos doze maiores clubes do país. Perguntado pela Furacao.com se seria interessante trabalhar no Atlético, Givanildo respondeu que sim, tanto é que já fez uma proposta financeira.

Quem é

Givanildo José de Oliveira tem 57 anos e é natural de Olinda, Pernambuco. Como jogador de futebol, foi pentacampeão estadual pelo Santa Cruz e chegou a jogar na Seleção Brasileira. Como técnico, tem 23 anos de carreira e 18 títulos conquistados, incluindo um título da Copa dos Campeões, outro do Campeonato do Nordeste e dois títulos brasileiros da Série B.

Dentre as equipes que já dirigiu, além do Santa, estão o Sport, Paysandu, Bragantino, Ponte Preta, Remo, Guarani, Bahia, América-MG e Fortaleza.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…