22 mar 2006 - 0h15

Atlético terá torcida especial em Volta Redonda

Cidade maravilhosa e atleticana. É assim que para muitas pessoas o Rio de Janeiro é visto. E para reunir os atleticanos do Rio, um grupo de torcedores se reuniu e fundou a Torcida Furacão Carioca. Nesta quarta-feira eles pretendem inaugurar oficialmente sua atuação, viajando 120km rumo a Volta Redonda, onde o Atlético enfrenta o time da casa, no estádio Raulino de Oliveira, pela Copa do Brasil.

A idéia de montar a torcida do Atlético no Rio de Janeiro, explica um dos fundadores, Marcelo Lopes, nasceu no Maracanã, num Atlético e Botafogo em que o Rubro-negro venceu por 3 a 1. Naquele dia, a cada grande jogada do Furacão, mais eles tinham certeza de que os atleticanos nascidos em Curitiba ou no interior do Paraná e que moram no Rio precisavam exercer mais seu atleticanismo. Hoje, o grupo concentra cerca de 90 pessoas.

“Há uma formação muito eclética em nossas fileiras, a maioria paranaenses que moram no Rio, o que nós chamamos de ‘Curiocas’, os ‘curitibanos cariocas’, que estão aqui há muitos anos e já constituíram famílias, com esposas e filhos. Um patriarca ou matriarca atleticano jamais deixa de passar suas paixões aos filhos. Por isso, acontecem coisas inusitadas, tais como minha filha, Geórgia, de 9 anos, que fala para todo mundo no colégio que torce para o Atlético Paranaense. Mesmo com a pressão dos colegas para torcer para a dupla Fla/Flu ou Botafogo e Vasco, ela não cede. Nos aniversários é tradicional os animadores tocarem os hinos dos times locais e no dela toca o do Atlético”, afirma Marcelo. “Ser atleticano é uma herança rica e temos orgulho de passarmos isso aos nossos descendentes, faz parte do currículo educacional de nossas famílias e vai transmitido de geração para geração. Existem também torcedores que torcem pelo Atlético sem motivo familiar, nasceram no Rio e simpatizam com esta simbologia de eficiência e raça do rubro-negra”, completa.

Acompanhar o Atlético à distância é um verdadeiro teste de paciência e fanatismo. “Ficamos desesperados em dias de jogo. Os que têm mais condições têm o pacote da NET ou Sky para o Brasileirão, mas a internet, seguindo no site da Furacao.com, o da Rádio Banda B e o site da RPC muitas vezes são a única solução para os torcedores cariocas do Atlético e, pasmem, muitas vezes ficamos via celular com amigos e parentes que estão no jogo na Arena, nos informando dos lances mais importantes. Muitos de nossos pais e irmãos moram em Curitiba e nos servem como ‘repórteres’”, diz.

Homenagem

Para Marcelo Lopes, a Torcida Furacão Carioca, muito mais do que um meio para exercer seu atleticanismo, é uma homenagem ao seu bisavô, Joaquim Américo Guimarães, fundador do Internacional (clube que anos depois se uniu ao América para formar o Atlético) e idealizador do primeiro estádio de futebol de Curitiba, local onde hoje está a Baixada. “Gostaria de fazer mais esta homenagem ao Joaquim Américo, meu bisavô, que teve o prazer de gerar na incubadora o nosso Atlético e nosso estádio, quando presidente do Internacional”.

Além de marcar presença nos jogos do Atlético no Rio de Janeiro, os integrantes da torcida pretendem dar melhor assistência aos atleticanos de Curitiba quando forem ao Rio, negociando a chegada das caravanas com o comando da PM, viabilizando hotéis e transportes alternativos para os rubro-negros.

Portanto, se você é atleticano e mora no Rio de Janeiro pode entrar em contato com a Torcida Furacão Carioca através do e-mail marcelolopes@rjnet.com.br . “Com a criação da Torcida Furacão Carioca pretendemos crescer e conhecer muito mais esses atleticanos até então desgarrados e que podem agora se unir em nome do Furacão”, finaliza Marcelo.



Últimas Notícias

Notícias

Já faz um ano….

Neste dia 04 de março faz exatamente um ano que o torcedor atleticano viu o Furacão de perto, ao vivo e em cores dentro da…