22 mar 2006 - 17h45

Dagoberto passará por artroscopia em São Paulo

O atacante Dagoberto sofreu uma lesão no joelho esquerdo (possivelmente no menisco) na partida do último sábado, contra a ADAP, na Kyocera Arena. Depois de apanhar dos jogadores adversários, ele sentiu fortes dores e teve de ser substituído aos 13 minutos da segunda etapa. Na ocasião, ele foi levado imediatamente a uma clínica para a realização de exames. O resultado da ressonância magnética foi revelado nesta quarta-feira e não é nada bom para a torcida atleticana.

Em 2004, o atacante havia rompido os ligamentos deste joelho e foi submetido a uma cirurgia realizada pelo médico Freddie Fu, nos Estados Unidos. Sua recuperação levou cerca de um ano. Após retornar aos gramados, o atleta sofreu ainda algumas lesões musculares.

A nova lesão de Dagoberto é no joelho esquerdo, mas a princípio não guarda relação com a cirurgia. Em 2004, houve rompimento dos ligamentos do joelho. Desta vez, o problema é possivelmente no menisco. Agora, o atleta viajará para São Paulo, onde realizará novos exames. Ele será submetido a uma artroscopia, que consiste em um procedimento cirúrgico em que se investiga se há lesão e durante o qual já pode ser imediatamente realizada uma intervenção para corrigir o problema. Foi isso o que ocorreu com o meia Fabrício no ano passado.

Se for confirmado que o problema de Dagoberto é mesmo no menisco, sua recuperação deverá levar entre 30 e 45 dias. Recentemente, o goleiro Rogério Ceni e o lateral-direita Cafu foram submetidos a artroscopias para curar lesões nos meniscos e retornaram rapidamente aos gramados.

Conivência da arbitragem

Se em 2004 a lesão de Dagoberto foi ocasionada por um "acidente de trabalho", desta vez o dano ao jogador é decorrente principalmente da perseguição dos jogadores adversários, apoiados pela conivência dos árbitros. Em todas as partidas que disputou neste ano, Dagoberto sofreu faltas violentas e teve de escapar de agressões que colocaram em risco sua integridade física.

A "caça" ao atacante foi denunciada inclusive pelo então técnico Lothar Matthäus, que já foi eleito o melhor jogador do mundo. "Eu compreendo perfeitamente o que passa pela cabeça do Dagoberto. Aqueles profissionais cuja incumbência é zelar pela integridade física dos jogadores não o fizeram", afirmou o alemão após o jogo do Atlético contra o Iraty, na Arena. "Agradeço aos céus pelo Dagoberto ainda estar na nossa equipe e não no hospital", disse Matthäus na ocasião.

As preces dele parece não terem surtido efeito prolongado. A caça a Dagoberto continuou, a omissão dos árbitros igualmente, e o atacante acabou indo parar no hospital.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…