23 mar 2006 - 1h03

Leandro Niehues aposta na classificação

O técnico Leandro Niehues, que completou 33 anos na semana passada, dirigiu interinamente o Atlético na partida desta quarta-feira contra o Volta Redonda, pela Copa do Brasil. Com o afastamento do auxiliar Vinícius Eutrópio, Leandro foi convocado pela diretoria para comandar a equipe neste primeiro jogo da segunda fase. O treinador escalou uma equipe cautelosa, com três zagueiros, dois volantes e apenas um atacante de ofício. O Atlético acabou perdendo o jogo por 2 a 1, mas Leandro notou uma subida de produção da equipe em relação aos últimos jogos.

Na entrevista coletiva concedida após o jogo, o jovem treinador falou que o grupo teve uma atitude positiva na partida e conseguiu suportar a pressão do Volta Redonda durante mais de 30 minutos. Leandro garantiu que o time está unido e vai buscar a classificação no jogo de volta, no próximo dia 5. Ele assegurou à torcida que a "virada" já começou. Confira os principais trechos da coletiva:

EXPULSÃO DE EVANDRO
"Eu tinha preparado já, na minha cabeça, substituições dos jogadores que estavam com amarelo. A gente sabe que a arbitragem dá uma visada nos jogadores com amarelo, mas sempre avisa o jogador após uma falta: "Olha, é a última". Hoje, coincidentemente, não aconteceu isso. Ele expulsou o Evandro direto. Isso dificultou bastante."

TÁTICA
"Nós fizemos uma leitura de jogo de não chamar o Volta Redonda para a nossa área, vocês devem ter percebido isso. Tanto é que fomos levar o gol aos 30 e poucos minutos e ainda assim o time estava bem postado. O gol saiu numa jogada em que o menino deles ganhou uma jogada de flanco."

MUDANÇA DE ATITUDE
"O que eu posso passar para vocês e para a torcida é que houve uma mudança de atitude considerável para esse grupo. Essa derrota está doendo hoje, mas tenho certeza que isso vai mudar. Os meninos estão chateados, eles mesmos se cobraram no vestiário e o olhar deles é de vitória. Eu tenho certeza que a torcida atleticana pode esperar a classificação, que ela vai vir. A virada já começou."

INDICAR CLÉBER A GIVANILDO?
"Se ele (Givanildo Oliveira) conhece o Cléber, não cabe a mim indicar nada."

CONFIANÇA DO GRUPO
"O grupo me passou isso, não com palavras, mas com atitudes. O grupo me passou a certeza de que vai trazer a classificação para nós."

ABATIMENTO
"Nós assumimos e conduzimos a equipe nesses dois dias e meio. Era uma equipe cabisbaixa. Tem um lado bom disso, porque uma equipe que perdeu uma classificação em casa da maneira que foi seria estranho ver todo mundo na brincadeira. Então, isso é o lado bom. É um grupo que está ferido, até porque o Atlético se acostumou a ser um time vencedor. Eu vi um grupo que no primeiro tempo fez uma bela partida, jogou de igual para igual. O que eu vi hoje foi um grupo que estava sentido pelo momento em que estava passando. Mas as coisas já começaram a mudar para nós porque com um a menos o grupo segurou um resultado com um jogador a menos. Nós perdemos por 2 a 1 fora de casa. Isso significa que 1 a 0 em casa já nos classifica."

BRUNO LANÇA
"Foi uma opção simplesmente tática (a entrada de Bruno Lança no lugar de Alan Bahia). Eu tinha o Erandir encaixado no Amaral, um meia mais adiantado, e precisava de outro jogador para marcar ali no meio. Nesses dois dias, eu senti que o Bruno Lança vive um melhor momento, principalmente no aspecto psicológico. Eu assumo toda a responsabilidade pela escalação dele. Se eu vi a mesma partida que vocês (jornalistas), o Bruno fez uma baita partida."



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…