26 mar 2006 - 11h32

A escolha do nome e das cores do Atlético

Em 1923, americanos e internacionalistas começaram as discussões para a união de forças e o surgimento de um novo clube. Porém, divergências quanto às cores do uniforme acabaram cessando as negociações. Em 1924, a idéia de reunião de forças era vital para o engrandecimento do futebol do Estado. Mais amadurecidos, representantes de Internacional e América estavam dispostos a chegar a um consenso e formar uma nova agremiação.

No dia 21 de março de 1924, quando o processo de fusão já estava bem adiantado, colocou-se na pauta da reunião as discussões quanto ao nome e as cores do novo clube. Se chegassem a um entendimento quanto à isso, certamente nasceria um novo clube em Curitiba.

Numa forma de homenagear o Estado, optou-se pelo nome “Paranaense”, na tentativa de tornar o clube com repercussão por todo Paraná. Seria uma espécie de “Associação Atlética dos Paranaenses”. Porém, como já existia um clube com o nome de “Paranaense”, que disputava a terceira divisão do campeonato local, optou-se pela utilização do nome “Athletico”, conforme grafia da época. Pela idéia inicial dos fundadores, o novo clube seria o “Athletico dos Paranaenses”. Surgia o Club Athletico Paranaense.

Para a definição das cores do uniforme, optou-se pelo bom-senso. Representantes do Internacional não abriam mão da camisa alvinegra, considerada por eles mais elegante. Já os americanos queriam a inclusão do vermelho. Num primeiro momento, cogitou-se uma solução que agradasse internacionalistas e americanos, com a presença de três cores: preta, branca e vermelha. Porém, para dar a sensação de igualdade no processo de fusão, os internacionalistas abriram mão do branco, que foi utilizada apenas como cor auxiliar, nos calções e alguns detalhes na camisa.

A camisa ficou definida com listras horizontais rubro-negras e o calção em branco. O distintivo foi formado pelas iniciais do clube: CAP. Nascia um novo rubro-negro no futebol brasileiro, que herdava o preto do Internacional, o vermelho do América e de ambos o amor e carinho pelas cores vermelho e preta.

Fonte: o texto acima foi extraído do Hot Site elaborado pela Furacao.com para o aniversário de 80 anos do Clube Atlético Paranaense.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…