30 mar 2006 - 13h41

Clubes adotam cartilha para contabilidade

A data de 16 de março de 2006 marca o lançamento da Cartilha Padronização das Práticas Contábeis dos Clubes de Futebol Profissional, elaborada pelo Ministério do Esporte. Trata-se de um conjunto de normas destinadas a adequar a escrituração contábil dos clubes à Resolução 1005/2004, instituída pelo Conselho Federal de Contabilidade, que trouxe alterações significativas quanto à forma de contabilização de eventos peculiares ao futebol.

A Cartilha nasceu de contribuição oferecida ao Ministério do Esporte pelo Clube dos 13, como explica o presidente da associação, Fábio André Koff: "Diante da enorme diferença entre as práticas adotadas pelos clubes em relação às exigidas pelo Resolução nº 1005, de 2004, decidimos constituir uma Comissão temporária com o objetivo de analisar e avaliar os efeitos que as novas normas refletiriam sobre as práticas contábeis até então utilizadas pelos clubes e padronizá-las, até mesmo com a sugestão de um plano de contas contábil".

Essa comissão, eminentemente técnica, foi composta por representantes do segmento acadêmico, também com a participação inicial de representantes do Conselho Federal de Contabilidade e do IBRACON e por profissionais responsáveis pelas áreas contábeis de Santos, Palmeiras, São Paulo, Corinthians e Cruzeiro.

Koff ressalta que a Resolução do CFC trazia embutida a possibilidade de graves conseqüências para os clubes. "Após analisar a determinação do Conselho Federal de Contabilidade, a nossa comissão identificou que a Resolução nº 1005 poderia afetar, significativamente, as contas patrimoniais dos clubes, inclusive tornando negativo o patrimônio líquido, ou seja, passivo a descoberto. Os clubes precisavam adequar-se a nova realidade e o Clube dos 13 assumiu a tarefa contribuir na reorientação dos seus associados", explica Fábio Koff.

Como várias dúvidas sobreviviam à Resolução do CFC, o trabalho da Comissão buscou dirimi-las investindo no esclarecimento de peculiaridades do futebol e através de questionamentos técnicos, sempre buscando elevar o nível de transparência das demonstrações contábeis. O trabalho da Comissão, que se destinava, fundamentalmente, à orientação dos contadores das entidades de práticas desportivas, ressaltando a importância que as demonstrações contábeis passarão a ter nesse novo contexto do futebol, foi encaminhado, também, para apreciação do Ministério do Esporte.

"Oferecemos o resultado do nosso trabalho, alentados pelo espírito democrático e contributivo do Ministro de Esportes, Agnelo Queiroz. Sabíamos que ele saberia aprimorar as nossas sugestões, dando a elas o encaminhamento positivo correspondente, o que se confirma com o lançamento da Cartilha de Padronização das Práticas Contábeis dos Clubes de Futebol Profissional", comemora Koff.

Fonte: Clube dos Treze



Últimas Notícias

Notícias

Raio X: Penarol

Retrospecto, Nikão e bola na rede. Essas são as apostas do Furacão para garantir vaga na final da Sulamericana 2021. O Athletico é o único…