31 mar 2006 - 23h07

Diretoria acompanhou o coletivo desta sexta

A cúpula da diretoria atleticana prestigiou o treinamento coletivo realizado na tarde desta sexta-feira no CT do Caju. O presidente do Conselho Gestor, João Augusto Fleury da Rocha, e o presidente do Conselho Deliberativo, Mario Celso Petraglia, assistiram ao primeiro treino comandado por Givanildo Oliveira preparativo para o jogo contra o Volta Redonda, na próxima quarta-feira, na Kyocera Arena. No início da semana, o treinador realizou dois coletivos, mas disse que apenas observou os jogadores. Sua primeira intervenção efetiva no plano tático e técnico ocorreu nesta sexta, sob os olhares atentos dos dirigentes rubro-negros.

O novo técnico atleticano preferiu fazer suspense quanto à escalação para o decisivo jogo da Copa do Brasil. "Em competições nacionais eu não dou o time antes do jogo, procuro evitar. Nos estaduais não tem problemas, são apenas times daqui e todos se conhecem. A Copa do Brasil é uma competição difícil, então temos que dificultar o máximo", explicou Givanildo durante a entrevista coletiva concedida no final da tarde.

Ele se revelou contente pela motivação que vem sendo demonstrada pelos atletas e disse que a equipe terá de jogar de modo seguro se quiser passar de fase. "Nós temos que valorizar o gol que marcamos fora de casa, mas não podemos segurar e deixar que o jogo termine empatado. Temos que atacar, mas também não podemos ser pegos de surpresa Temos que estar ligados. Minha preocupação é passar dessa fase para fortalecer o grupo e eles passarem a confiar neles mesmos", finalizou o técnico.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…