31 mar 2006 - 16h23

Matthäus não quer "lavar roupa suja" com o clube

A polêmica passagem do técnico alemão Lothar Matthäus pelo Atlético ganhou um novo capítulo nesta sexta-feira. Depois de abandonar o clube às vésperas da fase de quartas-de-final do Campeonato Paranaense, o treinador viajou para a Europa e divulgou, dias depois, que não retornaria a Curitiba por questões particulares – basicamente, por sentir muito a falta de sua esposa, Marijana, e dos filhos dela.

Nesta semana, Matthäus deu uma entrevista a uma agência de notícias alemã e mudou sua versão. Sugeriu que sua saída do Atlético havia sido motivada por motivos relacionados ao trabalho. O Atlético, por sua vez, divulgou em seu site oficial duas contas telefônicas não quitadas por Matthäus, totalizando um débito de R$ 13 mil.

Agora, o técnico volta a se manifestar – desta vez oficialmente, através de seu site pessoal. Em texto intitulado "Certas coisas não devem ser discutidas publicamente" (uma tradução livre para o original em alemão "Gewisse Dinge gehören nicht in die Öffentlichkeit"), Matthäus diz que seu rompimento contratual com o Atlético não deve ser discutido via imprensa e sim entre ele e os dirigentes do clube.

"Fui muito questionado nas duas últimas semanas sobre a brusca interrupção do meu contrato no Brasil, mas eu não gostaria de tratar publicamente dessas questões. Depois de uma separação, não é certo ficar lavando roupa suja. Além disso, nós estamos caminhando para um acerto de maneira que todos os envolvidos possam continuar se olhando nos olhos", comentou.

Matthäus seguiu explicando sua quebra de contrato: "Até por isso, para ser sincero e justo, eu tive que encerrar meu contrato com o Atlético Paranaense. Algumas coisas no Brasil aconteceram de forma errada e não é certo eu por a culpa somente no relacionamento com minha esposa. Como disse em outra coluna, sentimos saudades um do outro e existia uma longa distância entre nós. Para as crianças isso também era um problema".

O técnico indica que houve outros problemas, mas não dá muitos detalhes. "Mas não foi só por isso que eu deixei o emprego, porque para esse tipo de dificuldade pode existir solução. Na parte esportiva estava tudo bem, mas algumas coisas não saíram como estava acordado e planejado. Não foi fácil deixar o trabalho, mas eu me senti responsável para ser justo com o clube. Nós poderíamos ter continuado, mas os problemas só seriam adiados, não resolvidos. E me pareceu melhor dar ao time a chance de ter outro técnico antes do início do campeonato (Brasileiro)", continuou Lothar Matthäus.

Ao final do texto, o técnico alemão disse que já recebeu algumas ofertas de trabalho, mas que nada o interessou até agora. Ele ficará concentrado no seu trabalho como comentarista da Copa do Mundo. Matthäus não aposta que a Alemanha consiga chegar à final, pois considera que há outros times mais qualificados individualmente.

Colaboração: Nadja Mauad, da equipe de conteúdo da Furacao.com.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…

Ao Sol e à Sombra

Alex Mineiro

Parecia o caso de um jogador que seria lembrado como coadjuvante de uma equipe imparável. Um carregador de piano, invisível aos olhos dos leigos, que…