6 abr 2006 - 0h11

Givanildo lamenta empate e fala em reforços

Não foi a estréia que Givanildo Oliveira esperava. Em sua cabeça, o novo técnico do Atlético havia planejado um esquema de abafa ao Volta Redonda no início do jogo para que o time fizesse um gol nos primeiros minutos e ficasse mais tranqüilo. Givanildo estava preocupado com a pressão sobre os atletas, que estava prejudicando o rendimento do time nas últimas partidas. Pois a preocupação do experiente treinador se confirmou.

O Atlético não conseguiu marcar um gol no começo e os jogadores ficaram cada vez mais nervosos. Resultado: empate sem gols e eliminação da Copa do Brasil logo na segunda fase da competição, e ainda por cima jogando em casa. Na análise de Givanildo, a equipe não jogou tão mal e demonstrou muita luta. Ele enalteceu os atletas por essa atitude.

Por outro lado, o técnico admitiu que não foi uma boa partida e que o time precisa melhorar muito para o Brasileiro. Ele revelou que conversará com a diretoria para tratar de reforços para o elenco. Confira os principais depoimentos de Givanildo na entrevista coletiva concedida na sala de imprensa da Arena após o jogo:

LUTA
"Temos que arrumar muita coisa. Na verdade, fiquei satisfeito pela luta. Às vezes, nosso time estava correndo errado, mas conseguia recuperar a bola. Isso foi muito importante porque lutamos até o final. Buscamos o gol até os minutos finais."

BRASILEIRÃO
"Vamos procurar arrumar o time da melhor forma para a estréia do Campeonato Brasileiro. Faz 12 dias que assumi e sei o que quero. Já tenho meu pensamento sobre o que fazer. Paciência, a gente vai conversar com a direção do Atlético e ver o que precisa.”

ALAN BAHIA
"Pelo que eu sei, vocês mesmos (jornalistas) estavam criticando o Alan Bahia, que não vinha jogando bem. Assisti ao treino dele. No primeiro jogo que assisti do time, jogaram o Erandir e o Bruno. Agora já passei a conhecer o Alan melhor, aos poucos vou conhecendo melhor os jogadores."

CLEVERSON E RICARDINHO
“Minha confiança existe em todos os que estão no grupo. Se vai jogar ou não, vai da minha confiança no momento. Pelos trabalhos que fizeram o Ricardinho e o Cleverson, achei que eles tinham capacidade de entrar na partida e eles não me decepcionaram. Eles participaram bem e criaram algumas chances. Se tivéssemos feito 1 a 0 em uma jogada deles, ninguém estaria reclamando."

AVALIAÇÃO
"Não disse que o time foi bem; eu disse que o time teve alguns momentos bons. Mas se quisermos fazer uma boa campanha no Brasileiro, temos de melhorar, com certeza."

FATOR PSICOLÓGICO
“O nosso pensamento é trabalhar a cabeça dos jogadores. Não sou psicólogo, mas dentro da minha profissão tenho que trabalhar isso também. Mas também não estou decepcionado, não. Dentro do que vi em campo, não estou decepcionado."



Últimas Notícias