11 abr 2006 - 14h50

Boleiros 2 tem pré-estréia em Curitiba

Muito antes de Edílson Pereira de Carvalho confessar que um esquema de resultados existia no futebol brasileiro, o cineasta Ugo Giorgetti já deu a dica no filme Boleiros – Era Uma Vez o Futebol. Lançado em 1998, Boleiros mostrou o encontro numa mesa de bar com ex-jogadores e árbitros que relembravam, com saudosismo, de boas histórias do futebol paulista. Com um enredo bastante conhecido dos aficcionados da bola, as histórias das personagens se cruzam: o craque que não consegue ser entrevistado numa mesa redonda, o ex-jogador que perdeu tudo o que tinha, a mandinga de torcedores corintianos no "Pai Vavá" , o árbitro corrupto (E-díl-son! E-díl-son!) que mandou voltar três vezes uma cobrança de pênalti e o incontestável artilheiro mulherengo do Palmeiras.

Apesar de não ter sido um fenômeno de bilheteria, já que as cópias de Boleiros dificilmente eram encontradas nas grandes salas de exibição, o filme de Giorgetti conseguiu destaque na mídia e chamou a atenção justamente pela maneira com que abordou o futebol no cinema. Ao contrário dos outros filmes em que trataram da bola na tela, Boleiros humanizou o esporte. Bem longe da publicidade espontânea criada por Pelé, Eterno, e com uma história mais dirigida aos torcedores, não como O Casamento de Romeu e Julieta, Boleiros ganha uma seqüência agora em 2006.

Nos cinemas de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre desde a semana passada, Boleiros 2 – Vencedores e Vencidos, também sob a tutela de Ugo Giorgetti, traz de volta as atuações de Otávio Augusto, Lima Duarte, Cássio Gabus Mendes, Denise Fraga e Flávio Migliaccio. As histórias também são contadas numa mesa de bar e desta vez as críticas aos empresários, jornalistas, árbitros e jogadores são mais abertas.

"Prioritariamente ele se passa na reinauguração de um bar, famoso reduto de jogadores de futebol, agora contando com novo sócio, Marquinhos, pentacampeão do mundo pela seleção e atual atacante de um milionário time europeu. Nessa instância, aproveitando o dia em que o famoso jogador está visitando seu novo investimento, o filme é quase um documento das transformações pelas quais passou o futebol e seus protagonistas nos últimos anos. Em última análise é um retrato das transformações que a própria sociedade sofreu nesses últimos anos, na medida em que o futebol a representa à perfeição. Trata-se de um desfile de jogadores, empresários, agentes, advogados, jornalistas à cata de noticia e torcedores de todos os matizes e condições sociais", é o que afirma a sinopse de Boleiros 2.

Em pouco mais de uma hora e vinte minutos, os amantes do futebol e do cinema poderão, de novo, dar boas risadas com o papo dos ex-boleiros, resgatar a antiga paixão pelo esporte e aprender com as várias facetas do mundo da bola. Em Curitiba, Boleiros 2 tem uma pré-estréia nesta terça-feira para convidados na sala Unibanco Arteplex, no Shopping Crystal. Ainda não há previsão de que o filme entre no circuito da capital paranaense.



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…