14 abr 2006 - 13h18

Riva de Carli pediu demissão do Furacão

O preparador físico Riva de Carli não é mais profissional do Atlético. A confirmação da saída de Riva foi dada nesta semana e, de acordo com informações do jornal O Estado do Paraná, o destino do preparador pode ser o Figueirense. “Assinei toda a papelada e agora é só esperar propostas”, resumiu.

Riva era o responsável pela preparação física do time profissional atleticano nos últimos anos. No entanto, com a chegada do técnico Givanildo Oliveira, ele se desligou do elenco profissional, sendo substituído por Wellington Vero. Inicialmente, cogitava-se a hipótese de que Riva assumisse uma nova função no clube, num pedido dos dirigentes do Furacão. Mas não houve acordo entre as partes e ele acabou rescindindo o seu contrato com o clube.

Carlos de Oliveira Carli, o Riva, tem participação no processo de transformação que o Atlético vem passando na última década. Contratado pela primeira vez pelo Rubro-negro em 1994, Riva esbanja um currículo de doze títulos conquistados pelo clube. Foi campeão da Série B em 95, paranaense em 98, 2000, 2001 e 2002, da Seletiva em 99 e do Brasileirão em 2001. Contando com as categorias de base, foram mais cinco títulos.

Graças ao trabalho de Riva, o Atlético ganhou a fama de time com um forte contra-ataque em velocidade, fundamental para a principal conquista da história do clube, o Brasileiro de 2001.

Em 2000, Riva assumiu pela primeira vez o comando do time, como técnico-interino em substituição a Artur Neto. Na oportunidade, comandou o Atlético na vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians, no Pacaembu. A experiência como treinador foi repetida em 2002, sendo efetivado no cargo. Com a saída do técnico Geninho, virou treinador do time profissional. A experiência inicialmente deu certo, com a conquista do Supercampeonato Paranaense no mesmo ano. Mas, depois do fracasso na Copa dos Campeões, Riva foi dispensado do clube.

Após sair do Furacão, Riva teve passagens pelo Grêmio Maringá, futebol chinês e Bahia. Em 2005, retornou ao Atlético para integrar a comissão de Antônio Lopes.

Agora, com a saída de Riva, a comissão técnica do Atlético é formada pelo técnico Givanildo Oliveira, pelo preparador físico Wellington Vero, pelo preparador de goleiros Valdemar Privati e pelo auxiliar Nilson Borges. A expectativa é de que o clube contrate um novo preparador de goleiros, já que Privati tem exercido interinamente a função. O nome mais cotado para o cargo é de João Batista, que estava no Paysandu.



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…