29 abr 2006 - 20h50

Giva: "Minha permanência depende do Dr. Mário"

O técnico Givanildo Oliveira disse que não sabe se fica no Atlético para a seqüência do Campeonato Brasileiro. Na entrevista coletiva que prestou após a goleada contra o Botafogo, o treinador disse que a permanência no rubro-negro depende do aval do Presidente Mário Celso Petraglia. "Se eu permaneço, só o Dr. Mário (Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo) pode responder. Foi com ele que eu acertei minha vinda para o clube. Não tratei com ninguém, foi só com ele. Então é só ele que pode responder", comentou. "O meu trabalho está começando só agora. Tentamos o melhor contra o Volta Redonda, Fluminense e Santos, mas o resultado só apareceu agora, contra o Botafogo", disse Givanildo ao repórter Osmar Antônio, da Rádio Banda B, parceira da Furacao.com. Quando perguntado sobre as especulações de três nomes para dirigir o Atlético, o técnico disse que só estaria preocupado "se tivesse 10 nomes".

Sobre o jogo, Givanildo falou que o Atlético começou a mostrar um bom futebol no Campeonato Brasileiro. "Faktava jogar bem. A gente vinha cobrando que era importante uma vitória. Mas também não podemos excluir os erros. No pênalti do Botafogo, por exemplo. Erramos no contra-ataque e isso originou o lance que eles perderam. Mas um erro poderia mudar a história do jogo".

O técnico também ressaltou uma reunião entre os jogadores, que foi realizada na última terça-feira, no CT do Caju. "Eles fizeram um encontro que foi extremamente positivo. Todo mundo falou e a reunião surtiu efeito. Faltava acertar muita coisa entre eles", garantiu Givanildo que ainda destacou a juventude do Atlético, com Pedro Oldoni e Evandro. Confira as principais declarações de Givanildo Oliveira na coletiva concedida após o jogo deste sábado:

ATITUDE
"(O time) precisava jogar bem. Atitude faz parte também porque quem não toma atitude fica no nada. Mas jogar bem era importante, e também não tomar gol."

ERRO
"Nós tivemos um erro grave que foi o lance do pênalti. Nós estávamos com a bola na área do Botafogo e acabamos dando o contra-ataque e sofremos o pênalti. Foi um erro que poderia ter mudado a história do jogo."

REUNIÃO DOS JOGADORES
"A reunião deles foi na terça-feira. Eu insisti para que eles fizessem essa reunião porque eles não tinham o costume de conversar sozinhos, sem a comissão técnica. Às vezes isso é importante. Acho que a reunião foi boa porque eu os reuni depois e perguntei só uma coisa: se a reunião foi boa ou ruim. Eles me disseram que tinha sido boa. Quem resolve dentro de campo são eles e hoje eles fizeram uma partida muito boa, principalmente em termos de marcação. Quando você marca bem, você toma a posse de bola e pode escapar no contra-ataque."

IMPORTÂNCIA DA REUNIÃO
"Reunião não ganha jogo, senão nós vamos reunir todos os dias. Mas ajuda. A gente estava trabalhando, mas não estávamos conseguindo a vitória. Então acho que essa reunião foi importante para vencermos."

TRAJETÓRIA
"Eu peguei o Atlético antes do jogo contra o Volta Redonda, que foi 0 a 0, mas a gente merecia ganhar. E depois perdemos para Fluminense e Santos. Eu sei das minhas condições, do meu trabalho e do que eu posso fazer. Mas uma vitória dessas com certeza dá mais tranqüilidade."

PERMANÊNCIA
"Se eu permaneço, só o Dr. Mario (Celso Petraglia) pode responder. Foi com ele que eu acertei. Não acertei com ninguém, foi só com ele. Então é só ele que pode responder."

ESPECULAÇÕES
"Um rapaz antes do jogo me perguntou se eu estava preocupado porque tinha três nomes cotados para o meu lugar. Eu disse que não estava preocupado, que estaria preocupado se houvesse dez nomes cotados para o meu lugar."

REFORÇOS
"O Dagoberto está voltando, tem o Marcos Aurélio, o Warley, o Michel, o Jonatas, que jogou comigo a primeira vez. São reforços importantes."



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…