1 maio 2006 - 10h33

Manchetes atleticanas desta segunda-feira

Para o técnico Givanildo Oliveira, que estava seriamente ameaçado de perder o cargo se o Furacão não reagisse, a conversa entre os atletas foi importante, mas não decisiva, para mudar o comportamento. “Reunião não ganha jogo – se ganhasse íamos reunir todo dia –, mas ajuda”, comentou.

 

Uma reunião na sexta-feira selou a sorte do Atlético na goleada de sábado sobre o Botafogo e quem comemorou foi o técnico Givanildo de Oliveira. Cercado de pressão por todos os lados, o treinador pediu para os jogadores se fecharem numa sala e aparar as arestas. Todo mundo falou o que tinha de falar, foi cobrado mais solidariedade, mais atitude e o resultado foram os 4 a 0 sobre os cariocas. Não só o pernambucano respira aliviado para encarar a semana de preparação para a partida contra o Internacional, como o Rubro-Negro já dá mostras de reverter a crise que rondava a Baixada.

 

Depois da goleada sobre o Botafogo por 4 a 0 em pleno Maracanã, o Atlético Paranaense reconquistou a tranqüilidade, já que encerrou um jejum de quase dois meses sem vencer. Além disso, a vitória garantiu a permanência do técnico Givanildo de Oliveira no comando.

 

O Atlético finalmente conquistou sua primeira vitória na Série A do Campeonato Brasileiro deste ano. Depois de duas derrotas em dois jogos, o Furacão surpreendeu no sábado ao golear o Botafogo por 4 a 0, no Rio de Janeiro. A vitória proporcionou alívio momentâneo ao técnico Givanildo Oliveira, que balança no cargo.

 


Últimas Notícias