14 maio 2006 - 10h38

Manchetes atleticanas deste domingo

Duas semanas depois, a história é a mesma. Como na terceira rodada, quando precisava de uma atuação convincente da equipe diante do Botafogo para permanecer no cargo, o técnico Givanildo Oliveira chega para a partida de hoje contra o Santa Cruz, às 16 horas, no Recife, ameaçado de perder o emprego.

 

Depois de surpreender e dizer que poderia ir embora, após a derrota para o Internacional, Givanildo permaneceu para tentar consertar os erros e tentar mais uma vez engrenar no Furacão. "No tênis, do nosso Guga, ele joga sozinho e às vezes erra. Aqui é o grupo e ainda não aconteceu aquilo que todos nós queremos", fala sobre a equipe, já que ele pediu para não comentar mais a respeito de demissão. Para ele, a conversa está sendo boa. "Temos conversado regularmente e sinto a ansiedade deles em sair desta situação. Vamos contra o Santa Cruz precisando vencer de qualquer maneira", aponta.

 

O Atlético-PR entra em campo neste domingo, às 16h, no Estádio do Arruda, para encarar o Santa Cruz, pelo Brasileirão. O jogo é considerado decisivo para a permanência do técnico Givanildo de Oliveira, que esconde a escalação para tentar surpreender seu ex-clube.

 

Hoje pode ser o último dia de Givanildo de Oliveira no comando do Atlético Paranaense. Justamente em sua antiga casa e contra seu ex-time, o Santa Cruz. Apenas uma vitória pode dar sobrevida ao técnico no Furacão, que já cogita contratar Paulo Bonamigo para o cargo.

 

O campeonato está apenas começando, mas o jogo de hoje já é de vida ou morte. Pelo menos para o técnico do Atlético Paranaense, Givanildo Oliveira. Sua cabeça está a prêmio e, se o time não vencer o Santa Cruz, hoje, a partir das 16horas, um abraço pro gaiteiro. O curioso é que ele poderá perder o emprego justamente por causa do Santa, clube que o cedeu para o Furacão da Baixada, ou seja: os pernambucanos cedem e eles mesmos podem tirar. já começa a sentir a pressão sobre sua cabeça.

 


Últimas Notícias