20 maio 2006 - 20h15

Torcida protestou contra time e treinador

A cena já está virando rotina nos jogos do Atlético na Baixada: torcida protestando, vaiando e exigindo novas contratações e a saída do técnico Givanildo Oliveira. Neste sábado, não foi diferente. Atendendo aos pedidos feitos durante a semana, os 10 mil atleticanos presentes no jogo até que tiveram paciência no início da partida, cantando as tradicionais músicas de incentivo ao time. Mas o segundo gol do Goiás, marcado aos 27 minutos do 2º tempo, foi a senha para que os protestos tomassem conta do Caldeirão.

Em princípio, o principal alvo era o técnico Givanildo Oliveira, que mais uma vez teve que ouvir os gritos de “Fora, Givanildo!”. A partir do terceiro gol da equipe goiana, no entanto, a revolta foi também com os jogadores. Além do coro de “queremos jogador!”, muitos torcedores gritavam que “tem que ter raça para jogar no Furacão”, num claro descontentamento com o rendimento do time em campo.

No setor Buenos Aires Inferior, onde fica a Torcida Organizada Os Fanáticos, muitos torcedores ficaram de costas para o gramado, em sinal de protesto ao time.



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…