24 maio 2006 - 8h37

Manchetes atleticanas desta quarta-feira

É estranho para quem conhece a fama da torcida atleticana, mas nesse Campeonato Brasileiro tem sido um alívio para o Furacão jogar fora de casa. Foi no Rio de Janeiro e no Recife que o time conseguiu os seis pontos somados até agora e de São Caetano do Sul espera trazer outra vitória na partida de hoje, às 21h45, contra o Azulão. Só assim o Rubro-Negro se fortaleceria para encarar novamente a cobrança da Arena da Baixada, no próximo sábado, diante do Juventude.

 

A reabilitação ou a zona do rebaixamento. O Atlético não tem muita opção para enfrentar o São Caetano hoje à noite no ABC Paulista, já que um empate não resolve muita coisa para a equipe da Baixada. Em crise pelos péssimos resultados em casa, figurando apenas numa perigosa zona do agrião e com o técnico Givanildo de Oliveira na corda bamba, o Rubro-Negro aposta no ataque reserva para voltar a vencer. Ainda sem Dagoberto, a novidade na equipe será Herrera no lugar do artilheiro Pedro Oldoni, machucado. O compromisso contra o Azulão é às 21h45.

 

O Atlético joga hoje às 21h45 em São Caetano do Sul pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. A partida fora de caEsa veio em boa hora para a equipe. Na última segunda-feira, em entrevista à Rádio Clube, o presidente do Conselho Deliberativo do clube, Mário Celso Petraglia, provocou a já irritada torcida ao fazer críticas generalizadas aos atleticanos e não dar explicações sobre a crise. “O Givanildo vai ficar até o dia que ficará”, declarou.

 

São Caetano e Atlético-PR se enfrentam nesta quarta, no Estádio Anacleto Campanella, às 21h45min, buscando a recuperação. As equipes vêm de derrota na rodada passada. Ambas as equipes rondam a zona dita perigosa, próxima ao rebaixamento, com seis pontos. O Furacão é o 14º, enquanto o Azulão ocupa a 15ª posição.

 

O clima é de mistério no Atlético, que enfrenta hoje o São Caetano, no Estádio Anacleto Campanella. O técnico Givanildo de Oliveira não comentou até agora a terceira derrota consecutiva na Kyocera Arena e pode deixar o clube no caso de mais um revés. Para piorar, o Rubro-Negro terá os desfalques do centroavante Pedro Oldoni, artilheiro do Brasileirão, e do atacante Dagoberto, ambos por contusão.

 

Mais uma vez, o jogo é decisivo para o técnico Givanildo de Oliveira. Qualquer resultado que não seja a vitória poderá representar na queda dele. Apesar da pressão de grande parte da torcida, Givanildo vem conseguindo se manter no comando do Atlético-PR.

 


Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…