27 maio 2006 - 22h11

Givanildo venceu a primeira em casa no Atlético

Um time valente. Foi dessa maneira que o técnico Givanildo Oliveira analisou a vitória atleticana sobre o Juventude, a primeira do treinador na Kyocera Arena desde que assumiu o comando do Rubro-negro. Depois de vencer a partida, Givanildo voltou a falar com a imprensa – fato que não aconteceu na última semana, depois das derrotas para Goiás e São Caetano, quando ele preferiu se distanciar dos repórteres.

"Ganhamos no sufoco. Estamos encontrando dificuldades ainda, mas hoje tivemos a valentia do grupo. Contra o Goiás perdemos vários gols e contra o São Caetano foi da mesma forma. Estava difícil de ganhar, mas somente essa vitória não resolve. Os primeiros tempos dos últimos dois jogos (contra Goiás e São Caetano) foram muito bons, mas se não faz o gol, mata o resultado. Hoje nós dominamos o jogo", analisou o técnico atleticano.

Ainda insatisfeito com o desempenho do time, o treinador afirmou que os constantes desfalques no sistema ofensivo são um problema a mais no time. “Eu estava trabalhando sem o Dagoberto e, agora, sem o Pedro (Oldoni). Além disso, precisávamos de um zagueiro e o mais importante: a bola não entrava. Estou bem, mas não inteiramente aliviado com essa vitória. Isto porque o time está devendo”, afirmou.

Pressão

Em clima de desabafo, Givanildo falou sobre a pressão pelos resultados desde que chegou no Atlético. O treinador revelou que chegou a pedir demissão à diretoria atleticana, fato que não foi aceito pela cúpula do clube, que depositou confiança no trabalho que está sendo desenvolvido. “Não aturo jogar em sete rodadas e perder cinco, por isso entreguei o cargo, sim. Mas o presidente não aceitou. Já trabalhei com muito dirigente por aí, mas ele é um homem diferente e me apoiou”, disse, referindo-se a Mario Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do Atlético. Em várias oportunidades, Givanildo afirmou que se decidisse deixar o cargo, a primeira pessoa que seria comunicada seria Petraglia, responsável por sua vinda ao Furacão.

Agora, sob o comando de Givanildo Oliveira, o Atlético acumula aproveitamento de 37%. Em nove jogos, foram três vitórias, um empate e cinco derrotas. Mesmo com a vitória, alguns torcedores ainda criticaram o trabalho do treinador, que voltou a ouvir o coro de "Fora, Givanildo" das arquibancadas.



Últimas Notícias