5 jun 2006 - 9h47

Análise de Atlético x Palmeiras, por Gustavo Rolin

Análise de Atlético 2 x 0 Palmeiras

Ano de 1996. O Palmeiras, com Wanderley Luxemburgo e seu esquadrão, vem para Curitiba defender uma longa invencibilidade contra o Atlético. O rubro-negro tinha Oséas e Paulo Rink, mas ainda não possuia o melhor CT e estádio do país e acabara de subir da sofrida Série B. Resultado: show atleticano, 2 a 0 e adeus invencibilidade.

Ano de 2006. O Palmeiras vem para Curitiba como penúltimo no Campeonato Brasileiro, com apenas uma vitória em nove jogos. Resultado: Atlético joga o necessário para vencer por 2 a 0. Dez anos se passaram, os mesmos clubes, o mesmo resultado, mas a realidade é outra.

O Atlético não fez uma partida primorosa como em seu último jogo, mas foi eficiente. O Palmeiras, como era previsível, veio para cima do rubro-negro e ditou as ações, principalmente no segundo tempo. Os paulistas não realizaram uma pressão intensa, mas tiveram mais chances de gols e maior posse de bola. A dupla de volantes não repetiu a excelente exibição contra o Cruzeiro, o que possibilitou ao Palmeiras criar diversas oportunidades. A zaga também cometeu algumas falhas, principalmente Danilo (aliás, cadê o seguro Danilo de 2005?). Dessa forma, brilhou a estrela do nosso melhor jogador no Brasileiro até o momento: o goleiro Cléber. Várias defesas dificílimas, inclusive uma seqüência milagrosa em chutes do atacante Enílton. Creio que está nascendo um novo ídolo na meta atleticana.

Coube a Alan Bahia (de novo ele!) e Evandro, decretarem a vitória. Evandro provou novamente que deve fazer parte do time titular, após uma série de partidas ruins. O banco deve ter feito bem para este talento atleticano. Com a cabeça no lugar e com vontade, Evandro é importantíssimo em nosso meio-campo com sua criatividade e passes precisos. O novo titular Denis Marques não jogou tão bem como em Belo Horizonte, mas mostrou que está com muita vontade. Mesmo isolado, buscou o jogo e demonstrou uma vontade que, confesso, não lembro ter visto em jogos anteriores. Até carrinho no meio-campo ele deu! Givanildo parece estar conseguindo dar ao Atlético o padrão que ele deseja. Fui contra sua contratação. Mas agora, por favor, deixem-no trabalhar!

Como o Palmeiras não tem mais Evair, Cafu e Djalminha, bastou fazer uma partida regular para vencermos. Com este time, o Palmeiras corre sério risco de voltar à Série B. Mas isso não nos importa, não é mesmo? Agora é concentração total na Copa do Mundo. Um mês com os melhores jogadores do mundo em ação. Todo apaixonado por futebol, como eu, com certeza está contando os segundos para o dia 9 chegar logo. Esperamos que o Atlético realize uma boa "mini pré-temporada" e busque algo mais na seqüência do Brasileiro, em julho.



Últimas Notícias