8 jun 2006 - 21h42

Dagoberto fala de sua situação no Atlético

A “novela Dagoberto” está agitando os bastidores do futebol atleticano durante o período de férias de parte do elenco na folga para a Copa do Mundo. Treinando no CT do Caju, o jogador afirmou em entrevista ao programa Transamérica Esportes que está fazendo tudo o que o clube está lhe pedindo e que a decisão de não renovar o contrato partiu dele mesmo. “Foram feitas muitas reuniões. Cedi mas não entramos em acordo e não renovar foi a atitude que eu tomei”, declarou.

De acordo com Dagoberto, há uma tentativa de fazer com que o torcedor fique contra ele, mas tem a consciência tranqüila de que sempre respeitou o clube e a torcida. “Todo mundo fala da valorização que tenho que ter pelo Atlético. Mas esquecem que tenho que me valorizar. Com certeza tenho meus direitos e estou tranqüilo, vou cumprir meu contrato. Tenho um carinho muito grande pela torcida, estão tentando me jogar contra eles mas sempre tive boa índole e respeito, e tenho muito carinho por eles. Eu sempre joguei honesto com eles e com a diretoria, mas cansei. Vou procurar seguir minha vida”, afirmou.

Sobre uma possível saída do Atlético no segundo semestre, Dagoberto disse que vai depender das propostas (tanto de equipes nacionais quanto de fora do Brasil). Por enquanto, seu pensamento é de continuar treinando no clube e fazer a intertemporada com o restante do grupo, a partir do dia 15 de junho.

Confira as principais declarações do atacante Dagoberto, em entrevista ao programa Transamérica Esportes:

NÃO RENOVAR CONTRATO COM O CLUBE:
"São assuntos internos. Mas não deu certo, uma vez que já estava desgastado a muito tempo. Foram feitas muitas reuniões. Cedi mas não entramos em acordo e não renovar foi a atitude que eu tomei. Todo mundo fala da valorização que tenho que ter pelo Atlético. Mas esquecem que tenho que me valorizar. Com certeza tenho meus direitos e estou tranqüilo vou cumprir meu contrato. Tenho um carinho muito grande pela torcida, estão tentando me jogar contra eles mas sempre tive boa índole e respeito, e tenho muito carinho por eles. Eu sempre joguei honesto com eles e com a diretoria, mas cansei. Vou procurar seguir minha vida.”

SAIR NO SEGUNDO SEMESTRE:
"Não sei ainda, é o tempo que vai dizer. Sempre deixei claro para o presidente que a minha vontade era de jogar no Atlético. Todo mundo sabe que não só de dentro, fora do país tem especulações sobre meu passe.”

NEGOCIAÇÕES COM O HAMBURGO NO INÍCIO DO ANO:
“Houve o contato na época (em janeiro, quando o time era treinado por Lothar Matthäus) quando eu mesmo falei que não queria ir porque queria ficar aqui. Mas cada dia acontece uma coisa que te chateia e entendo o que acontece. Mas eu sempre deixei bem claro que nunca apareceu nada pra mim. A minha vontade sempre era de ficar. Mas as coisas foram muito difíceis."

ARREPENDIMENTO DE FICAR:
"Não me arrependo de nada do que faço na vida. Procuro pensar antes de tomar uma atitude. Teve inúmeras oportunidades de ter assinado. Mas eles seguem a vida deles e eu a minha."

TREINAR ENQUANTO O ELENCO ESTÁ DE FOLGA:
“É muito fácil ir nos meios de comunicação falar mal de outras pessoas, isso é muito fácil. As pessoas ficam questionando isso e aquilo. Mas se quiserem saber a verdade vão ver que não é bem assim. Recebi uma intimação onde duas pessoas foram até a minha casa para entregar e veja não sou bandido nenhum. Se tivessem me ligado eu teria ido com o maior prazer, como estou indo. Vou fazer uma pré-temporada junto com a equipe, e estou fazendo tudo o que eles estão me pedindo."

Colaboração: Nadja Mauad



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…