21 jun 2006 - 21h21

Navarro Montoya foi o 16° melhor goleiro de 2005

O mais novo reforço do Atlético, Carlos Fernando Navarro Montoya, é um dos mais destacados goleiros sul-americanos da última década. Nome importante do futebol argentino, ele atuou ainda em equipes da Espanha, do Chile e da Colômbia. Tornou-se muito famoso por suas qualidades como arqueiro e também pelo estilo chamativo. No auge de sua carreira, no Boca Juniors, celebrizou-se por usar camisas espalhafatosas e personalizadas, no melhor estilo de René Higuita e Jorge Campos.

Além disso, Navarro Montoya ficou famoso por ter sido pivô de uma importante disputa na Fifa. Filho do também goleiro Ricardo Jorge Navarro, Carlos Navarro Montoya nasceu em Medellín na época em seu pai atuava no futebol colombiano. Três meses depois do seu nascimento, toda a família retornou para a Argentina, onde Navarro Montoya cresceu, estudou e iniciou sua carreira no futebol.

Nas Eliminatórias da Copa de 86, Navarro tomou uma decisão da qual se arrependeu posteriormente: "Quando se é jovem, tomam-se decisões precipitadas. Jogar duas partidas pela Colômbia contra o Paraguai por uma repescagem para o Mundial de 86 foi uma delas. Me arrependi para sempre. Nasci em Medellín, mas morei lá por apenas três meses. Voltei à Argentina, me criei lá e estreei na Primeira Divisão com o Véles. Como cheguei à maioridade, optei pela nacionalidade argentina. Aí surgiu o problema, porque não podia mais jogar pela Colômbia e a Fifa me impedia de jogar pela Argentina. Eu me tornei um apátrida".

A solução só veio em 1998, quando a Fifa mudou seu regulamento e autorizou que atletas na condição de Navarro Montoya pudessem jogar por outra seleção. Porém, a decisão surgiu tarde demais. Ele já tinha 32 anos e acabou nunca sendo convocado. Assim, nunca jogou pela seleção argentina. Antes da Copa de 2006, alguns cronistas argentinos chegaram a defender sua convocação, por entenderem que Navarro Montoya é superior a Abbondanzieri. "Ele provou ao mundo que ainda é capaz de jogar em alto nível aos 40 anos de idade. Ele foi completo na incrível campanha do Gimnasia, que terminou em segundo lugar do Apertura 2005, atrás do Boca Juniors", escreveu o cronista J. Guillermo Sánchez (clique aqui para ler a análise na íntegra, em inglês).

16° melhor do mundo

Depois de conquistar vários títulos no final dos anos 80 e início dos 90 (Supercopa e Recopa de 89, Campeonato Argentino de 92, melhor goleiro da Argentina em 93 e 94), Navarro Montoya atuou em equipes modestas da Espanha. Mesmo assim, muitos consideram que o auge de sua carreira foi justamente no período em que defendeu o Extremadura, Mérida, e Tenerife. Em 98, por exemplo, o goleiro foi eleito o terceiro melhor estrangeiro da Liga Espanhola, atrás apenas de Rivaldo e Roberto Carlos.

Porém, mesmo aos 40 anos, Navarro tem se mantido em alto nível. Jogando pelo modesto Gimnasia La Plata, foi vice-campeão do Apertura e considerado o principal jogador da equipe, tendo sofrido apenas 41 gols em 38 jogos. Em uma eleição promovida pela IFFHS (Federação Internacional e História e Estatísticas do Futebol), Navarro Montoya foi apontado como o 16° melhor goleiro do mundo em 2005 (clique aqui para conferir o ranking).

De acordo com o jornal argentino Clarín, Navarro Montoya foi um dos principais destaques do último Campeonato Argentino: "A los 40 años y después de cumplir una destacada actuación en Gimnasia, en donde en 38 encuentros le marcaron 41 goles transformándose así en uno de los pilares para lograr la marca histórica de 69 puntos en los dos campeonatos, el futuro de Navarro Montoya a partir de ahora podría estar en un equipo de Brasil".



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…