23 jun 2006 - 19h27

Para Leandro, Paraná é favorito na Copa Tribuna

Depois de conseguir chegar à decisão da Copa Tribuna, numa emocionante disputa nos pênaltis contra o Coritiba, o técnico do time de juniores do Atlético, Leandro Niehues, joga a responsabilidade da conquista do título para o time adversário da final, o Paraná Clube. Isso porque, explica o treinador, o time de juniores do Furacão tinha como meta para este ano a conquista de um título internacional, o que aconteceu na Copa Saprissa, na Costa Rica, quando venceu o argentino Boca Juniors.

"Já ganhei duas finais do Paraná desde que cheguei aqui (no Atlético) e eu vou passar a responsabilidade da vitória para eles. Nós trabalhamos focando as competições internacionais, esse era o nosso objetivo e conquistamos", disse o técnico, lembrando a conquista da Copa Saprissa há menos de um mês.

Para o primeiro jogo da decisão, que ainda não tem data marcada pela Federação Paranaense, o treinador não poderá contar com o ataque titular do Rubro-Negro, já que Renato e Ricardinho foram expulsos na semifinal contra o Coritiba. "Não lamento a perda de jogadores porque quem trabalha com formação de atletas sabe que tem que estar preparado porque vai perder jogadores mesmo, tanto por cartões quanto por contusões", afirmou. O técnico acredita que o elenco é composto de bons jogadores que podem substituir a dupla.

Atitude

Para Leandro Niehues, o grande mérito do Atlético no clássico da semifinal da Copa Tribuna foi a mudança de atitude dos jogadores do primeiro para o segundo tempo do jogo. "Mudamos a atitude tática e técnica completamente. Além disso, individualmente houve uma melhora da água para o vinho. Fizemos um primeiro tempo muito ruim, um dos piores que este grupo fez desde que cheguei ao Atlético. O time não teve atitude, qualidade técnica ou padrão de jogo. Comentei com eles que a nossa torcida foi muito paciente, pois eles mereciam ter saído de campo vaiados", revelou.

Como havia perdido o primeiro jogo da semifinal por 2 a 1 e saiu atrás do placar na partida disputada no CT do Caju, o treinador ressalta, também, a tranqüilidade do grupo. Eles saíram perdendo um jogo que já estava um a zero pelo resultado da primeira partida e sofreram mais um gol. Mas a equipe teve calma e tranqüilidade. O Coritiba teve dois jogadores expulsos por méritos da nossa equipe, que soube colocar a bola no chão e foi minando a equipe deles".



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…