28 jun 2006 - 18h07

Paulo André ainda não chegou a acordo com Le Mans

Reviravolta no caso Paulo André. Mesmo depois de o Atlético ter acertado sua negociação com o Le Mans, da primeira divisão francesa, o zagueiro não chegou a um acordo e ainda não assinou contrato. Há algumas semanas, dirigentes do clube francês estiveram no Brasil para observar jogadores que pudessem reforçar a equipe. As atuações seguras de Paulo André no Campeonato Brasileiro convenceram Daniel Jeandupeux, que recomendou sua contratação. Ex-técnico do time, Jeandupeux é atualmente assessor do presidente do Le Mans, Henri Legarda.

A negociação com o Atlético durou alguns dias e foi concretizada na semana passada. Paulo André viajou para a França na sexta-feira, dia 23 de junho, e sua apresentação oficial estava marcada para dali a três dias. Faltava apenas realizar os exames médicos e acertar a questão salarial, pois a duração do contrato (quatro anos) já havia ficado estabelecida. Mas o que era somente um detalhe acabou se tornando um ponto crucial e levou a um impasse.

Sem acerto

Na segunda-feira, dia 26, ocorreu a reapresentação oficial do elenco para a temporada 2006/2007. O Le Mans anunciou a prorrogação do contrato do goleiro Yohann Pelé e apresentou seus novos reforços: o lateral-direita Jean Calvé e o volante Cyriaque Louvion. Nada de Paulo André, cuja contratação havia sido fechada com o Atlético.

De acordo com o jornal Le Maine Libre, o zagueiro e a direção do clube não chegaram a um acordo salarial. "Paulo André estava em Le Mans desde sábado. O Daniel (Jeandupeux) negociou durante todo o dia de domingo e eu continuei hoje (segunda-feira) pela manhã. Eles nos pediram valores delirantes para as nossas condições. Há um momento em que é preciso saber dizer não", explicou o presidente Henri Legarda. Ele destacou o bom relacionamento que estabeleceu com Mario Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do Atlético. "É um presidente do jeito que eu gosto. Foi tudo bem nas nossas sete horas de negociação. Havíamos chegado a um acordo com o clube", prosseguiu.

Segundo os dirigentes franceses, o impasse ocorreu em função do valor do salário do jogador. "Domingo, eu conversei com cinco agentes dele. Eu acho que deve ter havido algum mal-entendido. Alguém deve ter lhe dito valores muito mais altos do que podemos pagar", comentou Daniel Jeandupeux. O presidente do Le Mans lamentou a ausência de acerto. "Não podemos gastar todos os nossos recursos com só um jogador sendo que ainda procuramos um atacante, um meia e um lateral-esquerda. Lamento verdadeiramente que não tenha dado certo, não só por nós, mas também pelo jogador, que estava em lágrimas. É um jogador de grande qualidade, do qual ainda se ouvirá falar muito", revelou Henri Legarda.

O site de notícias Allez Le Mans, editado por torcedores do clube rubro-amarelo, também informa que Paulo André e seus agentes não aceitaram a proposta salarial do Le Mans (acesse o site e clique na notícia intitulada "Nouvelle du Club : Pelé prolonge …").

Alheio ao impasse entre o Le Mans e o jogador, o Atlético não se pronunciou sobre o futuro de Paulo André. O clube apenas se manifestou sobre a ausência do zagueiro nos últimos treinos através de nota no site oficial, informando que ele foi liberado para tratar de assuntos particulares.

Advogado acredita em "final feliz" (atualizada às 20h21)

Após a publicação da reportagem, a equipe de reportagem da Furacao.com conseguiu entrar em contato com João Henrique Chiminazzo, advogado de Paulo André. Ele disse que o acerto não ocorreu imediatamente porque a proposta salarial oferecida pelos dirigentes quando Paulo André chegou a Le Mans foi "completamente diferente" da que havia sido combinada no Brasil. Porém, Chiminazzo revelou que as partes continuaram negociando e que o acerto está próximo (clique aqui para saber mais).

Obs: esta notícia foi originalmente publicada às 18h07 do dia 28/06/2006 e posteriormente atualizada com a inserção do último parágrafo e revisão de alguns trechos às 20h21 do mesmo dia.



Últimas Notícias