6 jul 2006 - 20h52

Confira a entrevista coletiva sobre o caso Dagoberto

Na entrevista coletiva da tarde desta quinta-feira, na sala de imprensa da Kyocera Arena, o Conselheiro Gestor Jurídico do Atlético, Marcos Malucelli, e o segundo presidente do Conselho Deliberativo, Diogo Fadel Braz, explicaram detalhes da decisão judicial da 8ª Vara Trabalista de Curitiba, que prorrogou o contrato do atacante Dagoberto com o Atlético por mais 250 dias. De acordo com os advogados, a decisão é ainda preliminar e, caso a decisão final seja favorável ao atleta, o Atlético ainda pode recorrer em outras duas instâncias. “Essa é uma decisão em primeira instância. Cabe ainda recursos ao Tribunal Regional do Trabalho aqui no Paraná e ao Tribunal Superior do Trabalho. São as duas instâncias acima dessa que ainda cabe algum recurso”, disse Braz. Confira as principais declarações dos representantes do Atlético sobre o assunto:

POSSÍVEL CORPO-MOLE DO ATLETA
Marcos Malucelli: “Eu nem sei se ele estava fazendo corpo-mole, quem disse foi o jornal que você falou (do ETA). Eu sei que nós temos que preservar os direitos do Atlético no tocante federativo e financeiro.”

Diogo Braz: “Além disso a responsabilidade da diretoria em relação ao patrimônio do clube, dos sócios dos torcedores. Então não há razão da diretoria, independente se há ou não corpo-mole, deixar de buscar os seus direitos.”

NEGOCIAÇÕES COM A MASSA SPORTS
Marcos Malucelli: “Estiveram presentes no processo de negociação o presidente Petraglia, o presidente Fleury, o Mauro Holzmann, representando o Atlético. O presidente Petraglia participou ativamente desse processo, até o momento em que houve um desgaste muito grande e eu passei a fazer essas reuniões sozinho com eles.”

DAGO SE RECUSAR EM NEGOCIAR COM OUTROS CLUBES, CASO FIQUE NO ATLÉTICO
Marcos Malucelli: “À revelia não pode (o Atlético fazer a negociação). Agora evidente que nessa hipótese haveria uma má-fé e nos contratos prevalece a boa-fé das partes. Se nós temos uma proposta de um clube agora e nós apresentamos a ele e ele não aceita. Em janeiro outra e ele não aceita. Daqui a pouco completa o tempo de contrato dele e ele vai embora, podemos recorrer à própria Fifa para que ela estipule uma multa para que ele nos reembolse, nos ressarci dos prejuízos que ele nos trouxe.”

NEGOCIAÇÕES COM OUTROS CLUBES COMO PONTE PARA O EXTERIOR
Marcos Malucelli: “Que poderia ser uma ponte é evidente que pode ser. Qualquer clube pode ser uma ponte dele para o exterior. Nós temos conhecimento por notícias de que há clubes brasileiros sim interessados e negociando com ele. São pelo menos três clubes interessados nele.”

EMPENHO DE DAGOBERTO NOS JOGOS
Marcos Malucelli: “Esse critério de se empenhar ou não se empenhar cabe a avaliação do departamento de futebol. Ele tem condições de jogo, médica acredito que sim também, mas ele tem condições legais de jogo. Se o departamento de futebol vai utilizá-lo ou não, aí fica à critério do treinador.”

NEGOCIAÇÕES
Marcos Malucelli: “No primeiro momento eu até achei que eles queriam mesmo renovar. Mas quando a cada reunião depois de tudo acertado vinha um telefonema querendo conversar mais alguma coisa, aí cheguei a conclusão que efetivamente o objetivo principal era deixar o tempo passar para chegar à data limite.”

MÁGOAS COM O ATLETA
Marcos Malucelli: “O Dagoberto e mais todos os outros jogadores do clube, são todos patrimônio do Atlético, tem interesse em todos os jogadores. Pode deixar mágoa, futebol hoje é alegria amanhã é tristeza. Ao mesmo tempo em que o Dagoberto é questionado, ovacionado foi. Eu acho que fica uma mágoa, uma marca. Mas faz parte do futebol, o jogador hoje cada vez mais procurando ganhar dinheiro em detrimento às vezes da responsabilidade, do apego ao clube.”

MASSA SPORTS
Marcos Malucelli: “Eu acho que quem cuida (da renovação de Dagoberto) é a pessoa jurídica Massa Sports. Nas três últimas reuniões que eu tive, quem representou a Massa Sports foi o Marcos Malaquias. Na primeira ele estava presente, mais o Naor e o Gabriel Massa. Na maneira que para mim é Massa Sports. Eu nunca vi procuração, nunca pedi para eles, assim como eles nunca me pediram a do Atlético. Agora, até onde nós sabemos, quem é dono da Massa Sports é Naor Malaquias, Marcos Malaquias e Gabriel Massa. Então a Massa Sports é do Massa. Até porque se não fosse do Massa teria outro nome. Embora eu tenha lido nos jornais que eles estavam rompendo a sociedade. Mas uma nota de esclarecimento é uma nota de esclarecimento. O contato comigo foi feito com a Massa Sports.”



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…