14 ago 2006 - 12h00

Análise de Grêmio 2 x 0 Atlético, por Marcel Costa

Análise de Grêmio 2 x 0 Atlético
por Marcel Costa

Mais um jogo, mais uma derrota e o Atlético continua estagnado, vendo o campeonato passar e sendo presa fácil para qualquer adversário, por pior que este o seja. Ontem, foi a vez do fraco time gremista somar três pontos e prolongar o sofrimento atleticano no campeonato.

O jogo contra o Grêmio era perfeito para conquistar uma vitória. Portões fechados, adversário limitado e campo neutro. Mas para vencer era necessário qualidade e isto anda escasso no elenco atual do Atlético. Após um início razoável, logo o goleiro Cleber começou a aparecer no jogo, evitando o gol de Rômulo. Pronto, o mesmo filme de todo o campeonato. A defesa confusa e apavorada, o meio inoperante, os alas inexistentes e o ataque sem nenhuma lucidez, salvo por alguns dribles de Dagoberto, isolado do restante do time.

Limitados, Atlético e Grêmio pouco arriscavam e o jogo se resumia a lances esporádicos e muita luta no meio de campo. No primeiro tempo, o goleiro gaúcho sequer fez defesa importante. O Atlético jogava distante da área gremista, pois não tem um atacante de referência, apostando em Dagoberto e Denis Marques, com características parecidas de jogar longe da área, carregando a bola. Este sistema só daria certo se tivéssemos como arma o contra-ataque, mas a saída de bola é lenta e o meio de campo carece de um jogador com qualidade no passe. Este poderia ser Evandro, mas inexplicavelmente o treinador só o coloca faltando menos de dez minutos e assim pouco pode fazer para melhorar o time.

No segundo tempo a mesma monotonia. De novidade somente a presença de Fabrício que pouco rendeu, no lugar do zagueiro Alex. O time continuou desordenado, apático, sem brio e criação. Não demorou muito e o gol do Grêmio saiu, após triangulação dentro da nossa área. Muitos devem ter pensado o mesmo naquele momento: perdemos o jogo! Poucos acreditam no poder de reação de um time que até então sequer tinha acertado o gol do goleiro gremista (qual o nome dele mesmo? Só sei que não era mais o Galatto). E nada do Vadão mexer. Parecia que tudo estava ótimo, que seria questão de tempo para empatar e virar. Nisso, Denis Marques perde dois gols cara a cara com o goleiro e Dagoberto é expulso após desnecessária discussão com o árbitro. Com um a menos a derrota tornara-se ainda mais iminente. E foi o que aconteceu, selada com um gol de Herrera, não o nosso gringo, mas seu xará argentino. Neste lance talvez o Cleber pudesse ter segurado a saída do gol, mas o goleiro atleticano não pode ser criticado, pois fez outra boa partida, com excelentes defesas que evitaram o desastre maior.

O Atlético ainda não entrou na zona de rebaixamento, mas isto parece inevitável neste meio de semana devido a folga forçada pela decisão da Libertadores. Acho ruim não jogarmos esta partida, pois alguns irão falar que estamos atrás apenas em razão do jogo a menos, esquecendo que com este time fatalmente perderemos pela primeira vez para o São Paulo na Kyocera Arena. Que tristeza! Sonhei com dias melhores em 2006, mas acordei no meio do pesadelo. Boa sorte Atlético, mais uma semana se passou e, infelizmente, nada mudou!

Marcel Costa é colunista e colaborador da Furacao.com. Clique aqui para entrar em contato com ele.

O texto acima não representa necessariamente a opinião dos integrantes da Furacao.com e seu autor se responsabiliza integralmente pelo conteúdo.



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…