15 ago 2006 - 10h03

Manchetes atleticanas desta terça-feira

Nada perto da pressão exercida por algumas torcidas de clubes paulistas e cariocas, mas a Fanáticos, maior organizada atleticana, começou a mostrar que a má fase do time não vai se refletir apenas em protestos da arquibancada. Na noite de domingo, cerca de 15 integrantes da facção foram ao Aeroporto Afonso Pena cobrar o time depois da derrota de 2 a 0 para o Grêmio, que colocou o Rubro-Negro na porta da zona de rebaixamento.

 

À beira do abismo no Campeonato Brasileiro, o Atlético enfrenta agora o descrédito de grande parte de sua própria torcida. O futebol triste e sem vibração mostrado pelo time rubro-negro está desanimando muitos atleticanos, que já se mostram conformados com uma possível queda para a segunda divisão.

 

O clima esquentou entre jogadores e torcedores do Atlético. No último domingo, os atletas foram abordados por um pequeno grupo de atleticanos – cerca de dez pessoas – ao desembarcarem no Aeroporto Afonso Pena, por volta da meia-noite. Segundo uma fonte ligada ao clube, o principal alvo do grupo era o atacante Dagoberto, que foi "salvo" pelos seguranças do Atlético. A mesma pessoa relatou que o atacante Denis Marques discutiu com os torcedores e teve que ser contido por outros jogadores para a situação não se agravar.

 

Sinal de alerta aceso na Baixada. O time está apático, conseguiu perder até para a frágil equipe do Grêmio e, dessa vez, não dá nem para colocar a culpa na torcida, já que o estádio estava vazio. O Furacão só não está na zona de rebaixamento porque tem duas vitórias a mais que o Botafogo e tem muita gente ali que não está conseguindo render tudo que pode. Mesmo assim, parece que está tudo bem e que nada está acontecendo. Ninguém toma nenhuma atitude e a diretoria vê, passivamente, o barco afundando.

 


Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…