23 ago 2006 - 21h57

Marcos Teixeira explica liberação de Dagoberto

O diretor desportivo do Atlético, Marcos Moura Teixeira, realizou um pronunciamento nesta quarta-feira à noite, na sala de imprensa da Kyocera Arena, acerca da liberação do atacante Dagoberto da concentração rubro-negra. Ele estava relacionado para o jogo desta quarta, contra a Ponte Preta, mas horas antes da partida foi anunciado que ele havia sido liberado.

Por essa razão, Marcos Teixeira explicou à imprensa após o final do jogo o que aconteceu para motivar a decisão de liberar Dagoberto. "Nesta última semana nós entedemos que era importante procurar as pessoas que assessoram o Dagoberto porque percebemos a dificuldade que o jogador enfrenta. Depois dessa conversa que nós tivemos no meio da semana passada, ficamos aguardando que trouxessem uma solução para a gente para que as coisas ficassem resolvidas de uma permanência ou de uma saída, pois sabíamos que o Dagoberto tem clubes que o procuram", explicou Teixeira.

O dirigente disse que o impasse envolvendo Dagoberto está prejudicando o Atlético e que é preciso buscar uma solução, sob pena se o caso se arrastar indefinidamente. Por isso, a diretoria rubro-negra tomou a iniciativa de procurar os agentes do jogador e de iniciar uma conversa para resolver a questão, que pode ser até a negociação de Dagoberto com outra equipe.

Confira as declarações de Marcos Teixeira:

REUNIÃO
"Tivemos um encontro hoje (quarta-feira) e eles (assessores de Dagoberto) não nos trouxeram alguma alternativa, mas disseram que até sexta-feira poderiam ter alguma coisa. Então, em função disso, em um consenso, entedemos que seria melhor que ele não participasse do jogo até que eles nos trouxessem uma solução viável que atendesse ao interesse de todos.

NEGOCIAÇÃO
"A gente não está pensando nesse sentido (em uma negociação do atleta). Não apareceu nenhuma proposta. Se tivesse aparecido, seria um princípio de solução, mas não apareceu. O São Paulo parece ser um clube mais provável. A gente está sentindo que o São Paulo é um clube que tem a ver com esse processo, mas não tem nada oficial. Por isso é que nós pedimos a ele que nos oferecesse uma solução."

DIFICULDADE
"Isso tem sido um fator que não tem contribuído para o sucesso da equipe. Isso tem dificultado o trabalho, está sempre presente e a gente não vê uma solução. A gente quer ter uma definição, uma solução. Só desejamos isso. Nesse sentido que nós procuramos, não foram eles, fomos nós. Eu sei que pelo lado de lá houve um esforço, houve uma tentativa. Me parece que o jogador não está interessado em uma renovação, então precisamos buscar uma solução que seja boa para o atleta e para o clube."

PROCESSO
"Não vou falar sobre a questão jurídica, isso é uma questão que está sendo discutida no tribunal."

NEGOCIAÇÃO COM UM TIME BRASILEIRO
"Se fosse melhor para o clube e para o atleta que ele fosse para um time do Brasil, isso deveria ser feito às claras, como uma proposta oficial para que o Atlético pudesse analisar. Se o Dagoberto fizer sete partidas, ele não pode jogar por outro clube no Brasil. E aí, o que vai acontecer? Esse processo vai se arrastar até o ano que vem, sem resolver nada?"

REAÇÃO DE DAGOBERTO
"Eu falei com ele diretamente e ele em nenhum momento demonstrou estar furioso. A gente precisa dar uma solução a este caso. Nós estamos dispostos a chegar a uma solução, mas do lado de lá eles precisam trabalhar para a gente chegar a uma solução."

SOLUÇÃO
"Pior do que está é difícil de ficar. A situação do Dagoberto precisa de uma solução. Precisamos encontrar uma solução para isso. Ponto final."



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…