25 ago 2006 - 12h15

Torcedores apresentam respostas de Holzmann

Refletir publicamente sobre posturas e ações que definem o rumo do Atlético. Foi com esta postura que há cerca de um mês nasceu o movimento "Pelo Atlético, para os Atleticanos". E a primeira ação concreta do movimento já está sendo divulgada: uma conversa com o diretor de marketing do Atlético, Mauro Holzmann, que explicou algumas questões à torcida atleticana. Além disso, o grupo comemora outra conquista: o movimento está coletando perguntas e dúvidas dos torcedores para serem encaminhadas à diretoria do clube, numa espécie de "entrevista coletiva com a torcida".

"Mencionamos nossa pretensão de abrir um canal de comunicação entre a instituição CAP e a torcida que não fosse mediado pela imprensa. Para tanto, propusemos, por exemplo, encaminhar à diretoria do CAP perguntas por nós elaboradas ou mesmo advindas de outros torcedores, entendendo que estes têm direito – senão burocrático, ao menos ético – de saber o que acontece dentro de nosso querido clube. Como resposta, Holzmann não apenas nos concedeu uma clara abertura para estas ações, como mostrou sua preocupação e apoio com o torcedor comum, o que ficou explícito em declarações como: ‘o torcedor é o dono do time’", afirmam os integrantes do Movimento.

Durante o bate-papo, o diretor de marketing atleticano abordou alguns temas sobre a política de administração do clube. Confira alguns trechos da conversa dos integrantes do Movimento "Pelo Atlético, para os Atleticanos" com Mauro Holzmann:

PACOTES – "Nós já pesquisamos para ver exatamente onde a gente está errando. Sabemos que existe algum erro na história dos pacotes, então estamos analisando isso nessa pesquisa para ver se é preço, se é forma de pagamento. É, isso (o direito de apenas os detentores dos pacotes mais caros transformarem-se em sócios) é algo que também estamos querendo mudar. A gente talvez vá partir para o que o Inter fez. Comprou, é sócio."

ERROS NO FUTEBOL ESTE ANO – "O presidente não pode estar toda hora falando. Eu estava aqui na entrevista depois do jogo da ADAP, o Mário assumiu, disse ‘nós erramos, eu errei’. Não tem justificativa. As palavras dele foram essas: ‘eu posso ficar três dias aqui falando, mas ser eliminado do Campeonato Paranaense pela ADAP não tem desculpa’. Nós erramos, contratamos errado. Agora, erro esse ano? Isso a gente admite mesmo, você não pode estar saindo alardeando por aí ‘não, nós não erramos’, na substituição do Matthäus, sair o Matthäus e trazer o Givanildo, algumas contratações. É claro que não podemos exagerar tanto e errar tanto como erramos esse ano. Só que os erros não são propositais, quem está aqui é porque gosta."

INVESTIMENTO EM ESTRUTURA – "O Atlético Paranaense tem 10 anos de história como clube ganhador. Você tem que ser realista: o clube tem uma história muito recente. Se o Atlético não tem essa estrutura que ele tem hoje ele não estava onde ele tá, pois nós estamos competindo com as grandes marcas, com o Corinthians, São Paulo… não vamos nem falar na capacidade de faturamento de um clube que está em São Paulo. Então a estrutura que o Atlético tem foi uma opção do plano estratégico. Como nós não tínhamos uma marca forte, nacional, a nossa marca, como diz o Mafuz, passou do Rio Atuba ninguém nos conhece. Era uma marca regional porque Curitiba, Região Metropolitana, litoral, até Ponta Grossa… O Atlético não é o Flamengo, o Corinthians, não temos 25 milhões de torcedores, mas olha aqui o que a gente fez… Tem o melhor CT do Brasil, a melhor Arena, o melhor estádio, única obra que foi feita no esporte brasileiro nos últimos anos. A estrutura ganha sim."

VENDA DE JOGADORES – "A diferença do Atlético é que os únicos clubes que venderam mais jogadores nos últimos 10 anos que o Atlético foram o São Paulo e o Cruzeiro, se não me engano. Só que esse dinheiro está aqui dentro, está na Arena, no CT. O Atlético não tinha patrimônio nenhum, e isso foi sendo construído com o dinheiro do próprio clube. É a competência da gestão. Mas essa administração é muito sacrificante, porque você tira dinheiro do dia a dia para construir. Porque a hora que tiver tudo pronto, aí é manutenção e investir no futebol."

MOVIMENTO – "Não esqueçam que essa diretoria que está aqui é fruto de um movimento, similar ao de vocês. O Atlético estava quebrado em 1995. Aquela velha piada, só não fechou porque tinha perdido a chave. Esse tipo de movimento sempre é legal. Principalmente vindo de pessoas que são atleticanas e que a gente vê que estão querendo ajudar. Então não fiquem constrangidos de apontar alguma coisa que vocês acham que não tá legal, é bacana isso."

A conversa completa dos integrantes do Movimento "Pelo Atlético, para os Atleticanos" pode ser conferida no site do movimento. Para participar da entrevista com os diretores do Atlético, os torcedores podem enviar perguntas e dúvidas para o e-mail peloatletico@uol.com.br.



Últimas Notícias